Antônio de Sampaio Dória

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo.
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Editor: considere colocar o mês e o ano da marcação. Isso pode ser feito automaticamente, substituindo esta predefinição por {{subst:rec}}

Antônio de Sampaio Dória (Belo Monte, 1883) (São Paulo, 1964)foi um político, jurista e educador brasileiro. Nascido em Belo Monte, Estado de Alagoas, foi notadamente Diretor-Geral da Instrução Pública (1920-1924), coordenou várias reformas de ensino. Filho de Cândido Dória e de Cristina Sampaio Dória, foi para São Paulo ainda criança, onde concluiu o curso primário e fez os estudos secundários. Entrou (1904) na Faculdade de Direito de São Paulo, formando-se bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais (1908). Em São Paulo exerceu a advocacia (1908-1920) e atuou na educação. Vice-Diretor do Colégio Macedo Soares e Professor de Psicologia, Pedagogia e Educação Cívica na Escola Normal de São Paulo, professor substituto concursado de Direito Público Constitucional e de Direito Internacional Privado na Faculdade de Direito de São Paulo. Criou um estabelecimento modelo de ensino primário e secundário e fez parte de um grupo de educadores que preconizavam a reformulação da Pedagogia no Brasil. Foi assistente jurídico no Ministério da Justiça e Procurador Regional do Tribunal Eleitoral de São Paulo (1934-1937). Demitido das funções públicas pelo regime do Estado Novo, também foi exonerado de suas atividades docentes na Faculdade de Direito de São Paulo (1939), por ter participado de manifestações contra o regime. Recuperou seu cargo docente (1941) e com a deposição de Getúlio Vargas foi nomeado Ministro da Justiça pelo Presidente da República Interino José Linhares. Livros: Recenseamento escolar: relatório (1920), Questões de ensino: a reforma de 1920 em São Paulo (1923), Espírito das democracias (1924), Educação Moral (1928), O comunismo caminha no Brasil (1933), Os direitos do homem (1942), Direito Constitucional - Curso e Comentários à Constituição (Companhia Editora Nacional: São Paulo - 1953), Psicologia da educação (1959)


Precedido por
Agamenon Magalhães
Ministro da Justiça
e
Negócios Interiores do Brasil

19451946
Sucedido por
Carlos Luz


Ícone de esboço Este artigo sobre um político brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.







Creative Commons License