Boémia (estilo de vida)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Henri Mürger, por Nadar (1857)
Amedeo Modigliani, tido como um dos arquétipos do artista boémio.

Boêmia, boemia (português brasileiro) ou boémia (português europeu)1 deriva do francês bohème o habitante da Boêmia e do topônimo latino medieval Bohemus do latim clássico Boihaemum, o país dos Boii, povo celta na Europa central.

No século XV, passou a significar também 'cigano' ou membro de tribos nômades supostamente originárias da Boêmia.

Já no século XVII, com Tallemant des Réaux, bohème passa a designar também o indivíduo "que leva uma vida desregrada", num estilo de vida caracterizado pela despreocupação com relação a bens materiais, a grandes projetos, às normas. Era para descrever uma vida à margem da sociedade e cultivar uma nova forma de liberdade de pensamento, e uma preocupação de usar nomeadamente roupas excêntricas.

O termo passa, por empréstimo, do francês ao português, na acepção do século XVII: 'vagabundo, indivíduo de vida desregrada' ou não convencional, eventualmente ligado às artes ou à literatura, ou mero aventureiro que vivia de forma despreocupada.2 2

Nesse sentido, mais tarde, no século XIX surge um movimento artístico e literário, constituído à margem do movimento romântico, mais "aristocrático" e fora do uso da sua época.

Será Balzac, que em 1844, ao escrever Um Príncipe da Boémia, faz rasgados elogios a tal juvenil comportamento: «A palavra Boémia diz tudo. Ela não tem nada e vive de tudo. A esperança é a sua religião, a fé em si mesma é o código, a caridade o seu orçamento. Todos esses jovens são maiores do que o seu infortúnio, abaixo da sorte, mas acima do destino».

Segundo Jerrold Seigel, trata-se de um fenômeno social e literário que teve lugar em diversos pontos do planeta e em diferentes épocas. O autor considera a boêmia como uma manifestação de jovens burgueses3 que, no século XIX e sobretudo nas décadas de 1830 e 1840 na França, buscavam um estilo de vida especial e que se tornou popular principalmente a partir dos escritos de Henri Murger,4 autor de Scènes de la vie de bohème. O romance foi escrito a partir das experiências de Mürger como um escritor pobre vivendo na Paris de meados do século XIX. A obra inspirou a famosa ópera La Bohème, de Puccini.

No Rio de Janeiro do séc. XIX, a experiência boêmia carioca vinculava-se imediatamente à experiência boêmia de Paris, surgida no contexto das revoluções de 1848. "Boêmia" se torna sinônimo da vida que levavam os jovens intelectuais e artistas sem fortuna, num momento histórico que, também nos trópicos, é marcado por grandes transformações sociais, políticas e estéticas.5

Referências

  1. O Dicionário Houaiss registra a forma 'boemia' como "menos correta e mais usada que boêmia" (no Brasil). Da mesma forma, no Dicionário Aurélio (1ª edição), a forma 'boemia' é citada como sendo "comuníssima no Brasil ,embora não oficial". Atualmente, as duas formas, 'boêmia' e 'boemia' estão incluídas no Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa da ABL.
  2. a b Luiz Antonio Sacconi, Mini-Dicionário Sacconi, p.108
  3. SEIGEL, 1992, p. 19-20
  4. NUNES, Elton; MENDES, Leonardo, p. 2.
  5. NUNES, Elton; MENDES, Leonardo, p.1

Bibliografiaeditar | editar código-fonte

Ver tambémeditar | editar código-fonte

Ligações externaseditar | editar código-fonte








Creative Commons License