Brumado

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Brumado
"Capital do minério"
Igreja de Brumado(Matriz)

Igreja de Brumado(Matriz)
Bandeira de Brumado
Brasão de Brumado
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 11 de junho
Fundação 11 de junho de 1877 (136 anos)
Gentílico brumadense
Lema "In omnibus crux"
Prefeito(a) Aguiberto Lima Dias. (PSL)
(2013–2016)
Localização
Localização de Brumado
Localização de Brumado na Bahia
Brumado está localizado em: Brasil
Brumado
Localização de Brumado no Brasil
14° 12' 14" S 41° 39' 54" O14° 12' 14" S 41° 39' 54" O
Unidade federativa  Bahia
Mesorregião Centro-Sul Baiano IBGE/20081
Microrregião Brumado IBGE/20081
Municípios limítrofes Rio de Contas, Dom Basílio, Livramento de Nossa Senhora, Rio do Antônio, Malhada de Pedras, Maetinga, Aracatu, Tanhaçu, Ituaçu.
Distância até a capital 555 km
Características geográficas
Área 2 226,796 km² 2
População 68 776 hab. IBGE/20133
Densidade 30,89 hab./km²
Altitude 454 m
Clima semiárido BSa
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,656 médio PNUD/20104
Gini 0,52 PNUD/20105
PIB R$ 416 697,749 mil IBGE/20086
PIB per capita R$ 6 468,75 IBGE/20086
Página oficial

Brumado é um município brasileiro do estado da Bahia. Sua população, segundo dados do IBGE em 2013, é de 68.776 habitantes. Conhecido como a capital do minério, o Município de Brumado situa-se na Região Sudoeste da Bahia, limitando-se com os Municípios de Livramento de Nossa Senhora, Dom Basílio, Aracatu, Rio de Contas, Malhada de Pedras, Caetité, Tanhaçu, Ituaçu e Rio do Antônio. É o município de melhores índices de desenvolvimento social e econômico da região, excetuando-se o Município de Vitória da Conquista. Estes índices, juntamente com o fato de Brumado ser um importante entroncamento rodoviário (BA-262, BA-148 e BR-030) tornaram o município um natural pólo de atração para os vizinhos, além disso a cidade, assim como toda a região, é conhecida pela beleza e receptividade de seus habitantes.

A economia do município está baseada na mineração, particularmente de magnesita e talco, e no comércio.

História7 editar | editar código-fonte

O Capitão Francisco de Souza Meira e um grupo de aventureiros chegaram à região onde situa-se o município de Brumado em fins do século XVIII. Conquistando gradativamente terras pelas encostas da Serra das Almas, atingiram a bacia do Rio das Contas, de onde partiram em 1813, atrevessando o rio Brumado até a foz do Rio do Antonio. Permaneceram no vale do mesmo rio até transferirem-se para outra área, onde fundaram a fazenda de Bom Jesus do Campo Seco. Essa povoação tomou o nome de Bom Jesus dos Meiras, que em 1877 foi elevada à categoria de vila e o município criado com território desmembrado do de Caetité. Em 1931, o município passou a chamar-se Brumado.8

A origem do nome Brumado.

Ensina José Virgilio Meira Neto, que o nome Brumado, em tupi, é Itimbopira (Y – timbó – pyra). Que significa enevoada, coberto de bruma.

O padre José Dias, para justificar o nome Brumado, costumava relatar que o nome se originava da Serra Geral e da chapada Diamantina, que à norte quando acontece a cerração, o amanhecer é coberto por brumas descendo das Serras das Éguas cobrindo a cidade.

Outra versão: A origem do nome Brumado ou o seu étimo está ligado à palavra bromo (bromo). Era empregada pelos mineradores e bandeirantes para desiguar perda ou engano, mistificação ou desaparecimento do outro na lavra ou córrego que se supunha rico desse minério.

Com a ortografia antiga se denominava qualquer lugar onde a formação do ouro e a sua pinta eram aparentemente boas enganando os faiscadores e mineiros que decepcionados, deixavam o local à procura de outro, mais promissor.

Segundo Bluteau, dicionarista, o termos Bromado tem sua origem no Castelhano “broma”. “Bromar” e embromar são verbos do dialeto regional (bromado, explica o escritor mineiro Nelson de Serra é o que virou Ogó, por ter sumido da mina ou córrego ou rio

Outra versão: Na época da mineração, o rio Bromado, era vasculhado na busca do ouro. Para separar o cascalho do ouro os mineradores usavam um metal chamado Bromo, de cor vermelho escuro, muito reativo e venoso, que tingia as águas do Rio de cor vermelha. Daí, passaram a chamar o Rio Brumado (origem do Rio Brumado). Durante a seca com a falta de água no seu leito, os habitantes ribeirinhos diziam: “O Rio Bromou”!

Ou, este nome Brumado teria tomando empréstimo ao homônimo (que ou aquele que tem o mesmo nome), Rio Brumado que descendo de Rio de Contas, também atravessa algumas terras da nossa região.

Não seria mais prático denominar de Brumado a atual cidade de Livramento de Nossa Senhora, uma vez que, esse rio corta-a pela margem direita , após formar bela cachoeira? Dia Mozart Tanajura.

Caracterização geral do município

Conhecido como a capital do minério, o Município de Brumado situa-se na Região Sudoeste da Bahia, limitando-se com os Municípios de Livramento de Nossa Senhora, Dom Basílio, Aracatu, Rio de Contas, Malhada de Pedras, Caetité, Jânio Quadros e Rio do Antônio. O município está inserido no Polígono das secas, o que dificulta o crescimento das atividades. É o município de melhores índices de desenvolvimento social e econômico da região, excetuando-se Municípios de Vitória da Conquista. Estes índices, juntamente com o fato de Brumado ser um importante entroncamento rodoviário (BA-262, BA-148 e BR-030) tornaram o município um natural pólo de atração para os vizinhos A economia do município está baseada na mineração, particularmente de magnesita e talco, e no comércio. Sua população é de 61.000 (sessenta e um mil) habitantes, conforme censo realizado no ano de 2000.

Contexto histórico geral9 editar | editar código-fonte

1. Povoado: A Fazenda Bom Jesus dos Meiras era um pequeno povoado que pertencia ao município de Livramento do Brumado das Minas do Rio das Contas. Com a criação do Município de Caetité, o povoado Bom Jesus dos Meiras passou a pertencer ao Município de Caetité. 2. Distrito: Com o passar dos anos o povoado Bom Jesus dos Meiras passou a ser distrito. Foi Antônio Ledeslau de Figueiredo Rocha Vice-Presidente da Província da Bahia, que decretou e assinou a lei que elevou Bom Jesus dos Meiras à condição de distrito em 19 de junho de 1869 através do Decreto Lei nº 1.091. A pedido dos habitantes o Sr. Antônio Pinheiro Pinto (Canguçu), 2º Senhor do Brejo contribuiu para a construção da Capela Bom Jesus, hoje Igreja Matriz de Brumado, que foi chamada de Igreja Senhor do Bonfim em homenagem ao nosso Padroeiro Bom Jesus, e teve como 1º vigário o Padre José Mariana Meira Rocha. 3. Vila: Emancipação política – separa de Caetité. Em 11 de junho de 1877, Bom Jesus dos Meiras desmembrou-se politicamente de Caetité, com a Lei Provincial nº1756, ocorrendo a elevação para vila e com a criaçãodo seu próprio município. O autor do Prejeto foi o deputado provincial Dr. Marcolino Moura. Quem comandava a política nesta época era o Coronel Exupério Pinheiro Canguçu, o 3º Senhor do Sobrado do Brejo. Criou-se a 1ª Câmara Municipal de Vereadores em 13 de fevereiro de 1878. Presidente: Cel. Exupério Pinheiro Conguçu Secretário: Belarmino Jacundes Lobo Procurador: Rufiniano de Moura Amorim Fiscal: Plácido Guedes d’Oliveira Porteiro: Francisco Alves Piranha 4. Mudança do nome de Bom Jesus dos Meiras para Brumado – Era de Vargas: Foram nomeados interventores de 1930 a 1932 – Padre José Dias Ribeiro da Costa. Na sua gestão deu-se a mudança do nome Bom Jesus dos Meiras para Brumado em 1931. O Decreto Lei Estadual nº 7479 foi assinado em 8 de junho de 1932, quando o Dr. Bernardino de Souza, então Secretário de Justiça do Estado, entendeu, por sua livre vontade e arbítrio, e sem consultar o povo meirense de mudar esse nome histórico Bom Jesus para Brumado, um nome realmente inexpressivo, e sem anexo, sem histórico. 5. Cidade: A Vila de Brumado recebeu foros da cidade pelos Decretos: Decreto Lei Federal nº 311 de 2 de março de 1938 Decreto Lei Estadual nº 1724 de 30 de março de 1939 O interventor Político da época Marcolino Rizério Moura. 6. Comarca: O povoado de Bom Jesus dos Meiras pertenceu a Comarca de Rio de Contas. Quando Distrito passou a pertencer a Caetité. Posteriormente, formou-se a comarca, juntamente com a Vila do Brejo Grande – Ituaçu.Em 1935, foi implantado a comarca no Município já denominado Brumado. Foram nomeados várias juízes. Em 1945 nomeado o 1º juiz – Dr. Duarte Barreto de Aragão – 16.06.1945.

O município de Brumado situa-se em terras outrora pertencentes à fazenda do Campo Seco. O padre André Antunes Maia herdou a fazenda de seu pai, João Antunes Moreira, e a vendeu, em 30 de Junho de 1749 a José de Souza Meira. A fazenda do Campo Seco foi alienada por $1.462.700, com 232 cabeças de gado vacum, 105 cabeças de gado cavalar e um negro chamado Manuel, de nação Mina. Em 1755, a fazenda do Campo Seco já pertencia ao familiar do Santo Ofício, Miguel Lourenço de Almeida. A fazenda Serra da Éguas, hoje celebre pelas jazidas de Magnesita, pertencia, em 1764, ao padre André Antunes da Maia. Quando o capitão Francisco de Sousa Meira chegou na região no final do século XVIII, naturalmente a encontrou com uma paisagem cultural formada pela ação colonizadora de Miguel Lourenço de Almeida e seus antecessores. Após uma rápida estada aqui, o capitão Francisco de Sousa Meira tomou novas iniciativas afim de dar prosseguimento à sua rota para a conquista do nosso continente. O seu maior trabalho era oferecer resistência às tribos selvagens, que , embora se fossem dispersando à aproximação dos visitantes, costumavam entretanto atacá-los. Presume-se que dali partindo em 1813, os aventureiros atravessaram o rio Brumado, vindo da Serra das Almas, margeando para o seu flanco direito até atingirem a foz do Rio do Antônio. Daquele ponto do vale do mesmo rio, localizava uma aldeia de índios ferozes, aos quais ofereceram sério combate perto do local onde se encontra situada atualmente a cidade de Brumado. Deram a esse ponto a denominação de “Conquista” e aí permaneceram por algum tempo. Premiado, porém pelas lutas que de vez em quando o castigava dada a impetuosidade devastadora dos indígenas, o capitão Francisco de Sousa Meira resolveu se transferir com todos os seus aventureiros para uma posição mais cômoda. Subiu pela margem esquerda do Rio do Antônio e se fixou numa área mais ou menos calma, onde fundou uma fazenda, que denominou – Bom Jesus do Campo Seco. com o decorrer dos anos e com a evolução natural, criou-se mais abaixo – aproximadamente 3 léguas – pela mesma margem do rio uma pequena povoação que foi tomando vulto, graças aos êxitos obtidos pelos esforços dos aventureiros que nessa altura já se entregavam de corpo e alma as explorações agrícolas e na pecuária, dando vida à povoação, que seria mais tarde a sede do Município de Brumado. Na divisão administrativa do Brasil concernente ao ano de 1911, o município de Bom Jesus dos Meira – compunha-se de um só distrito – o do mesmo nome. Por força dos decretos estaduais Nº 7455, de 23 de Junho de 1931 e 7479, de 8 de Julho do mesmo ano, o município passou a denominar-se Brumado, figurando na divisão administrativa do Brasil. Em 30 de Março de 1938, Brumado passou a compor-se de cinco distritos: Brumado, Cristais, Olhos D’água, Santa Bárbara dos casados e São Pedro. Entretanto, os distritos de S. Bárbara dos casados, Olhos D’água e São Pedro tiveram mudados seus topônimos para Ubiraçaba, Itaquari e Aracatu, respectivamente e o distrito de cristais passou a ser Cristalândia.10

Municípios emancipados de Brumadoeditar | editar código-fonte

Turismoeditar | editar código-fonte

Igreja Matriz de Brumado

Brumado tem grande possibilidade de se tornar um polo turístico da região, apesar de estar localizado no polígono da seca, a cidade está também aos pés da Chapada Diamantina, o que faz com que seu território possa usufruir dos rios que nascem na Chapada (Rio Brumado e Rio de Contas) e também dos rios que nascem em outras regiões da Bahia como o São João e o Rio do Antônio. Além disso, vale ressaltar que Brumado também possui nascentes de água límpida ao longo do seu território, as quais fazem com que ao longo do percurso de seus riachos surjam matas ciliares, o que torna mais bela a paisagem da região e contribui para uma ampla biodiversidade animal e vegetal.

Estes riachos formam também pequenas cachoeiras, bicas e também um tobo-água natural na Serra das Éguas o que faz com que haja uma paisagem impressionante onde fica fácil perceber a transição entre a vegetação da caatinga para a das matas ciliares formando um contraste da paisagem visto em poucas regiões do Brasil. A cidade além das nascentes também é presenteada com Serras e trilhas de fácil acesso, como a da Serra das Éguas que fica a poucos quilômetros da sede do município, e também aos recursos mais distantes da sede, porém mais próximos da Chapada Diamantina, que é o caso do povoado de Cristalândia.

Esses são uns dos pontos turísticos da cidade:

  • Igreja Matriz.
  • Mercado de Arte.
  • Memorial Municipal.
  • Fazenda Condado.
  • Ruínas do Casarão do Brejo
  • A terceira maior mina de magnesita do mundo.
  • Cachoeira da Serra de São Lourenço.
  • Gruta das Lavadeiras.
  • Rio Brumado.
  • Rio São João.
  • Rio do Antônio.
  • Rio das Contas.
  • Córrego Bate-Pé e suas cachoeiras e escorregadeiras naturais.
  • Riacho do Coité.
  • Serra das Éguas.
  • Praça e anfiteatro Coronel Zeca Leite.
  • Barragem de Cristalândia.

Prefeitos de Brumadoeditar | editar código-fonte

Nome Período
Edmundo Pereira Santos 1997-2000 | 2001-2004
Eduardo Lima Vasconcelos 2005-2008 | 2009-2012
Aguiberto Lima Dias 2013-2016 (atual)

Geografiaeditar | editar código-fonte

Vegetação e Ecossistemaeditar | editar código-fonte

Praça Coronel Zeca Leite, também conhecida como Praça da Prefeitura

Brumado tem uma biodiversidade muito ampla, tanto vegetal como animal que vai de pequenos exemplares até animais de médio porte ameaçados de extinção.

A fauna brumadense é composta basicamente de animais adaptados a caatinga que é a vegetação característica da região, porém o município possui pequenas ilhas de floresta de pequeno porte denominadas matas ciliares localizadas frequentemente as margens dos rios e córregos da região. A biodiversidade animal acaba na maioria das vezes tendo seu habitat natural ameaçado por mineradoras, fazendeiros e caçadores, que visam expansão territorial, exploração das riquezas naturais e também o comércio ilegal de animais, consequentemente acaba acarretando uma atividade predatória desenfreada e sem controle algum com relação ao desequilíbrio ecológico que essa ação pode causar. Para piorar mais a situação não é tomada nenhum tipo atitude compensatória para essa atividade deixando alguns desses exemplares da biodiversidade local ameaçados de extinção, prejudicando assim o equilíbrio ecológico da região.

O município possui uma vegetação característica de caatinga, matas ciliares (vegetação característica de floresta tropical de pequeno porte situada as margens dos rios e riachos da região) e também partes isoladas de mata fechada denominada "gerais" situados nas regiões altas do município principalmente da Serra das Éguas. Vale ressaltar que as espécies vegetais presentes na região abrangem vários grupos e é possível encontrar exemplares de todo tamanho.

Existem problemas: o desmatamento indiscriminado para a produção de carvão utilizado para o comércio e para atender ao polo ceramista, e a derrubada da mata e da vegetação, para a pecuária e para abertura de minas desencadeada por algumas mineradoras locais. No entanto, vale ressaltar que há aquelas que realizam o reflorestamento adequado visando não atingir as nascentes presentes nas serras.

Brumado é possuidor de varias nascentes como a do Riacho Bate Pé, do Riacho do Coité que nasce na Serra das Éguas, que são denominadas brejos do sertão (um afloramento de lençóis freáticos presentes na região).

Distâncias Entre Brumado e as Capitais Brasileiraseditar | editar código-fonte

Relevoeditar | editar código-fonte

Estudos que envolvem a narração da história geológica de um continente como a América do Sul baseiam-se na determinação de idades de rochas e minerais, um ramo da geoquímica isotópica denominada geocronologia. A longevidade das rochas é muito variada. As formações rochosas mais antigas do continente sul-americano, com a idade de 3,5 bilhões de anos, estão no estado da Bahia, nos municípios de Brumado a Vitória da Conquista 11 .

Economiaeditar | editar código-fonte

Kiosques da Praça Cel. Zeca Leite

Segundo dados da SEi/IBGE, o PIB do município para 2003 foi de R$306,18 milhões, sendo 4,04% para agropecuária, 51,21% para indústria e 45,14% para serviços.

Mineraçãoeditar | editar código-fonte

Na indústria que rende 51,21% do PIB municipal possui importantes mineradoras; Magnesita S.A, Xilolite S.A, Ibar Nordeste S.A e a cimenteira Cimpor. A mineração é a maior fonte de riqueza da cidade, sendo o setor em que a maior parte da população se encontra empregada. Conta com ricas jazidas de magnesita, talco, existindo outros minerais tais como: vermiculita, dolomita, cristal de rocha e granitos dos mais variados, a região essa que possui a terceira maior mina de magnesita no mundo na região da Vila Pedra Preta, além de possuir algumas cerâmicas as margens do Rio do Antônio que corta a cidade.

Comércioeditar | editar código-fonte

O comércio é gerenciado pela Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL) e tem obtido avanços significativos, colocando o município em condições de almejar melhor classificação no ranking do estado da Bahia. O seu IDH está em plena ascensão, fato que desperta o interesse de empresários das mais diferentes regiões do país, a cidade também possui o Shopping Appio Brumado, um shopping center de pequeno porte.

Pecuáriaeditar | editar código-fonte

Na pecuária destaca-se com um rebanho bovino de 40.258 cabeças, suínos (13.768 cabeças), um rebanho de caprinos com 22.541 cabeças, ovinos (7.723 cabeças) e também um rebanho de 42.818 cabeças de frangos, galinhas e pintos. Destaca-se na área de caprinos e ovinos por causa do clima semiárido no qual estas espécies são bem adaptadas.

Agriculturaeditar | editar código-fonte

A agricultura é pouco explorada no município em consequência do clima seco que não favorece os pequenos e médios produtores rurais. Porém o município desenvolve significativas culturas agrícolas temporárias como; algodão (675 toneladas anuais), melancia (96 toneladas), umbu (642 toneladas), mandioca (1.450 toneladas), feijão (240 toneladas) e o cultivo de mamona (3 toneladas) que tende a crescer, em consequência do incentivo dos governos na produção do biodiesel.12 temos além de caplinos vacas,3 toneladas...

Dados atuaiseditar | editar código-fonte

  • População (fonte: IBGE)
  • População residente (censo 2000-2001): 63.976 habitantes
  • Eleitorado votante: 43.039
  • Taxa de Urbanização(%): 66,01
  • Densidade Demográfica (hab/km²): 28,47

Bairros de Brumadoeditar | editar código-fonte

Centro, Baraúnas,Jardim de Alá,Urbis I agora (São José), II, III e IV, São Félix, Dr. Juracy,Travessa Joanes Paulus Malhada Branca, Cidade das Esmeraldas, Esconso, Novo Brumado, Flores, Parque Alvorada, Ginásio Industrial,São Jorge, Santa Tereza, São Joaquim, São Lourenço, Tanque (Da Pracinha), Mercado, Rodoviário, Olhos D'Água, Jardim Brasil, Nobre, Azevedo e Hospital (atualmente, o bairro Hospital passou a se chamar Monsenhor Fagundes, de acordo com a lei 1576/2009, de 28 de dezembro de 2009).Além ddo Bairro dos Meiras.

Universidades e Faculdadeseditar | editar código-fonte

  • UNEB - Universidade do Estado da Bahia
  • UAB - Universidade Aberta do Brasil
  • UNOPAR - Universidade do Norte do Paraná
  • UNIB - Faculdade Integrada de Brumado
  • FAB - Faculdade de Brumado
  • FTC - Faculdade de Tecnologia e ciência
  • LÍDER - Líder Centro de Educação da Bahia
  • UNINTER

Escolas Técnicaseditar | editar código-fonte

  • IFBA - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia (Unidade Avançada)
  • CEEP antigo Colégio Modelo
  • ITEBA
  • CAEP

Feriados municipaiseditar | editar código-fonte

  • 20 de janeiro - Dia de São Sebastião tem-se como co-padroeiro da cidade e padroeiro do centro da cidade de Brumado
  • 11 de junho - Data da emancipação do Município (1877)
  • 6 de agosto - Dia de Bom Jesus padroeiro da cidade de Brumado-BA

Leitura adicionaleditar | editar código-fonte

  • Recordar é Viver - Agnelo Azevedo
  • Sinhazinha - Afrânio Peixoto.
  • Uma comunidade rural no Brasil antigo - Lycurgo Santos Filho.
  • Idílio de Pórcia e Leolino - Dário Teixeira Cotrim.
  • ABC de Castro Alves - Jorge Amado.
  • Idílio de Pórcia de Castro e Leolino Canguçu - José Walter Pires.
  • O Bom Izú - Sebastião Cardoso (Tiãozito)
  • O Jeque Treiteiro - Sebastião Cardoso (Tiãozito)
  • Poeira no Ar - Mário Rizério Leite

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2013. Censo Populacional 2013. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (01 de julho de 2013). Página visitada em 02 de outubro de 2013.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Página visitada em 11 de agosto de 2013.
  5. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (2010). Perfil do município de Brumado - BA. Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil 2013. Página visitada em 4 de março de 2014.
  6. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.
  7. Enciclopédia dos municípios brasileiros, volume 22, Bahia
  8. Texto extraído do site oficial do município Página visitada em 26 de agosto de 2012.
  9. Enciclopédia dos municípios brasileiros, volume 22, Bahia
  10. Fonte de pesquisa: IBGE/Biblioteca Municipal
  11. Revista Pesquisa FAPESP Online. A História do planeta contada pelas rochas. Página visitada em 04 de fevereiro de 2013.
  12. Dados: IBGE/2003

Ligações externaseditar | editar código-fonte

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Brumado







Creative Commons License