Controvérsia sobre a sexualidade de Adolf Hitler

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Adolf Hitler e sua amante, e futura esposa, Eva Braun em Berghof, nos Alpes Bávaros.

A controvérsia sobre a sexualidade de Adolf Hitler é há muito uma questão polêmica. Estudiosos favoráveis à tese de que Adolf Hitler era homossexual sustentam que muitas orientações do Partido Nazista foram elaboradas no Bratwurstgloeck, uma espécie de bar gay da época.1 Dentre os biógrafos que acreditam na homossexualidade do líder nazista, está Lothar Machtan, autor de "O Segredo de Hilter".2 Contudo, nem todos concordam com essa tese, como é o caso do Grupo Gay da Bahia.3

Alguns especialistas argumentam que Hitler era assexuado, enquanto outros dizem que ele era bissexual. Porém o consenso entre os historiadores modernos é que Hitler era heterosexual, tendo vários relacionamentos com muitas mulheres antes e depois de sua subida ao poder na Alemanha. De fato, muitos homossexuais foram perseguidos e mortos durante o Regime Nazista.

Em 1929, ele conheceu uma moça chamada Eva Braun e os dois mantiveram um relacionamento amoroso durante vários anos. Por fim, Hitler e Eva se casaram em 29 de abril de 1945, um dia antes de cometerem suicidio. Durante sua vida, ele também ficou noivo de outras duas mulheres.

Bibliografiaeditar | editar código-fonte

  • MACHTAN, Lothar. O segredo de Hitler. São Paulo: Editora Objetiva, 2003. ISBN ISBN 8573024054
  • LIVELY, Scott e ABRAMS, Kevin. The Pink Swastika: Homosexuality in the Nazi Party, 2002.

Documentárioseditar | editar código-fonte

Ver tambémeditar | editar código-fonte

Referências








Creative Commons License