Curvelo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Curvelo
"Portal do sertão"
Bandeira de Curvelo
Brasão de Curvelo
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 30 de julho de 1875
Gentílico curvelano
Lema "O temor do senhor é o princípio da sabedoria..." (Prov. 9, 10).
Prefeito(a) Maurílio Guimarães (2013-2016) (DEM)
(2013–2016)
Localização
Localização de Curvelo
Localização de Curvelo em Minas Gerais
Curvelo está localizado em: Brasil
Curvelo
Localização de Curvelo no Brasil
18° 45' 21" S 44° 25' 51" O18° 45' 21" S 44° 25' 51" O
Unidade federativa  Minas Gerais
Mesorregião Central Mineira IBGE/20081
Microrregião Curvelo IBGE/20081
Municípios limítrofes Corinto, Felixlândia, Inimutaba, Monjolos, Morro da Garça, Presidente Juscelino e Santo Hipólito.
Distância até a capital 170 km
Características geográficas
Área 3 295,894 km² 2
População 77 823 hab. Censo IBGE/20133
Densidade 23,61 hab./km²
Altitude 632 m
Clima tropical de altitude Cwa
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,713 alto PNUD/20004
PIB R$ 626 338,619 mil IBGE/20085
PIB per capita R$ 8 417,51 IBGE/20085
Página oficial

Curvelo é um município brasileiro do estado de Minas Gerais.

Geografiaeditar | editar código-fonte

Sua população estimada em 2013 era de 77.824 habitantes. Encontra-se situado na mesorregião central de Minas Gerais, na microrregião de Curvelo, com uma área de 3.306,1 km², distante aproximadamente 170 km da capital mineira. Tem localização privilegiada numa região servida por importantes sistemas rodoviários, onde se destaca a rodovia BR-040 que faz a ligação entre Brasília, Belo Horizonte e Rio de Janeiro, a BR-135 (Trajeto Rio/Bahia) e BR-259 (Acesso à Diamantina).

A sede do município apresenta altitude de 633 m e tem sua posição geográfica determinada pelo paralelo de 18º 45' da latitude sul em sua interseção com o meridiano de 44º25'de longitude oeste. Está situado num grande chapadão na região central do estado, onde não há serras propriamente ditas.

Localizado entre as bacias do rio São Francisco, rio das Velhas, rio Paraopeba, Cipó e Bicudo, o município é cortado por diversos ribeirões que desaguam nestes rios. Os mais importantes são Maquiné, Picão, Almas, Meleiros, Santo Antônio e Riacho Fundo.

Possui reservas minerais de Ardósia, Calcário, Zinco, Cristais e Quartzo.

Vegetaçãoeditar | editar código-fonte

A vegetação original é o cerrado com faixas de Mata Atlântica, modificado pela expansão das pastagens e principalmente pelo aumento constante de ocupação de suas áreas para a plantação de eucaliptos. Segundo o Instituto Estadual de Florestas (IEF), a cidade de Curvelo é um das mais arborizadas do estado, onde predominam espécies como Sibipiruna e Oiti. A maior parte das árvores da avenida principal tem mais de 60 anos. Na regionalização do sertão/cerrado a população de toda a região conta com uma gama de frutos típicos do cerrado entre os principais (Pequi, Araticum, Gabiroba, Jatobá, Buriti, Mangaba, Cagaita, Murici). Estes frutos nativos/castanhas e sementes fazem parte da rotina alimentar de consumidores que optam por uma alimentação saudável e com benefícios à saúde. Ocupando lugar de destaque no ecossistema do cerrado e seus frutos já são comercializados em feiras da região e com grande aceitação popular. Esses frutos apresentam sabores sui generis e elevados teores de açúcares, proteínas, vitaminas e sais minerais, podendo ser consumidos in natura ou na forma de sucos, licores, sorvetes, geleias, etc. E a tradicional marcha do pequi ocorre anualmente e leva aos populares a cata deste fruto que é o símbolo do sertão mineiro. Onde os tradicionais arroz com pequi, frango com pequi e doce de pequi fazem parte dos segredos e sabores da culinária dos Curvelanos.

Climaeditar | editar código-fonte

O clima de Curvelo é classificado como tropical de altitude (tipo Cwa segundo Classificação climática de Köppen-Geiger), característica advinda de sua altitude média de 633 metros acima do nível do mar e da latitude de 18,45ºS e longitude de 44,25ºW; o período de verão registra chuvas e temperaturas elevadas, enquanto o inverno é seco com temperaturas mais baixas. A temperatura é amena durante o ano, variando em média de 15°C a 30°C,6 sendo a média anual de 22,2°C. A precipitação anual é de 1308,3 mm.

Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) e da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), a temperatura mínima registrada em Curvelo desde 1999 foi de 6,3ºC, no dia 31 de julho de 2007. Já a máxima foi de 37,7ºC, observada dia 5 de outubro de 2008. Os maiores acumulados de chuva registrados na cidade em 24 horas foram de 124,0 mm, em 25 de dezembro de 2008, e 115,2 mm, em 1º de março de 2010.7

Históriaeditar | editar código-fonte

Por volta de 1700, baianos e paulistas, dentre outros desbravadores – aqueles subindo ou descendo os rios São Francisco e Guaicuí em busca de ouro e pedras preciosas –, tinham como pouso as margens do ribeirão Santo Antônio. Alguns decidiram ficar nestas paragens e, em torno de humilde capela, deram início ao núcleo populacional.

Depois de existir como arraial e distrito, designado por outras denominações, Curvelo se desmembrou de Sabará e se tornou município autônomo, por um decreto da Regência, de 13 de outubro de 1831, tendo como sede a vila homônima. Em 30 de julho de 1832, foi instalada a Câmara de Vereadores. Em 7 de dezembro do mesmo ano, houve a ereção do pelourinho, símbolo da autonomia do poder, e, em 15 de novembro de 1875, a sede da comuna elevou-se à categoria de cidade.

Destacou-se durante longos anos na cotonicultura, sendo considerada a "terra do ouro branco". Aliás, sua rica indústria receberia prêmio internacional na Itália, em Turim, no ano de 1911. Teve, e ainda tem grande evidência em outros setores, como agropecuária, educação, comércio, serviços, cultura e saúde.

É a cidade-mãe de muitos distritos hoje emancipados, tais como Morro da Garça, Inimutaba, Presidente Juscelino e Santana de Pirapama. É também o berço de uma das mais elegantes facas brasileiras, denominada "Curvelana" e que teria surgido por volta de 1880-90.

Turismoeditar | editar código-fonte

Entre os principais locais turísticos, existem:

  • o Centro Cultural de Curvelo: está localizado no prédio da antiga Estação Ferroviária, que foi reformada e recuperada para abrigar o museu, espaço de multimédia, biblioteca e galerias de arte.
  • a Basílica de São Geraldo: é a segunda Basílica de São Geraldo do Mundo, a primeira está em Muros, na Itália, onde o santo está enterrado. A Oitava de São Geraldo acontece na última semana de agosto, com encerramento pela arrojada procissão de São Geraldo no primeiro domingo de setembro, quando a cidade recebe uma multidão de romeiros de todas as partes do país e até do exterior.
  • a Matriz de Santo Antônio: foi benzida em 1877, tem como forte atração o Altar-Mor entalhada pelo mestre Chico Entalhador.
  • o Forró de Curvelo: é promovido por entidades, clubes de serviço e a prefeitura, sendo realizado em data que transita o primeiro fim de semana de julho. Durante os quatro dias de festa, são armadas barracas em praça pública com direito a grandes shows de artistas nacionais, concursos de música popular, danças e outras brincadeiras. Todas as barracas oferecem pratos típicos com cardápios variados. O Forró de Curvelo é um evento em âmbito estadual, envolvendo não só as cidades próximas, mas também trazendo turistas da capital, de cidades mais afastadas e até de outros estados.
  • o Parque de Exposições Ernesto Salvo: é o local onde é realizada anualmente, há mais de 60 anos, a tradicional Exposição Agropecuária e Industrial de Curvelo.
  • a Lapa do Mosquito: é uma gruta explorada pelo dinamarquês Peter Wilhelm Lund, que será aberta ao público tão logo seja liberada por mapeamento e adequaçao para visitaçao pública

Além desses, há também a Praça Benedito Valadares; a Praça Tiradentes; a Praça Voluntários da Pátria (Praça da Basílica), a Praça Central do Brasil; a Feira do Bairro Bela Vista; o Estádio Salvo Filho; o Clube Recreativo Curvelano (Sede Campestre); e a Feira da Estação.

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2013. Censo Populacional 2013. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Página visitada em 05 de setembro de 2013.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Página visitada em 27 de fevereiro de 2014.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.
  6. Instituto Nacional de Meteorologia (INMET). Normais Climatológicas. Página visitada em 30 de novembro de 2012.
  7. Sistema de Monitoramento Agrometeorológico (Agritempo). Dados Meteorológicos - Minas Gerais. Página visitada em 4 de julho de 2012.

Ligações externaseditar | editar código-fonte

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Minas Gerais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.







Creative Commons License