Distritos de Portugal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde agosto de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Considere utilizar {{revisão-sobre}} para associar este artigo com um WikiProjeto e colocar uma explicação mais detalhada na discussão.
Distritos administrativos de Portugal. De notar que as regiões dos Açores e da Madeira não estão dividas em distritos.

Os distritos constituem divisões administrativas e judiciais de Portugal. Atualmente, existem dois tipos de distritos: os administrativos e os judiciais. Os mais conhecidos são os distritos administrativos (normalmente referidos apenas como "distritos"), a cada um dos quais corresponde um governador civil. Os distritos judiciais constituem as áreas de jurisdição dos tribunais superiores (tribunais da relação e tribunais centrais administrativos).

Na actualidade, para além de, no ano de 2011, os Governos Civis, terem sido extintos, verifica-se o forte aumento de importância das Áreas Metropolitanas e Comunidades Intermunicipais em detrimento dos distritos administrativos. A razão óbvia para esta situação, para além de razões de associação económica e administrativa, tem a ver com o facto das populações não se identificarem com o distrito a que foram sujeitos, como acontece, a título de exemplo paradigmático, com os municípios de Espinho, Santa Maria da Feira, São João da Madeira e Arouca, municípios da Grande Área Metropolitana do Porto, que, apesar de pertencerem ao Distrito de Aveiro, sempre tiveram uma forte ligação socio-económica ao espaço urbano do Porto, para além da proximidade territorial à cidade do Porto e do seu enquadramento identitário nos municípios do Distrito do Porto, factos que se acentuaram na contemporaneidade. Com a lei 75/2013 de 12 de Setembro, dando continuidade à reorganização administrativa e à restruturação de competências na organização do território, os distritos foram relegados para um plano secundário, com o protagonismo administrativo das Áreas Metropolitanas e das Comunidades Intermunicipais.1

Os distritos administrativos e judiciais existiam também no antigo Ultramar Português.

Distritos de Portugaleditar | editar código-fonte

Lista dos atuais distritos administrativoseditar | editar código-fonte

  1. AVR.pngDistrito de Aveiro
  2. BJA.pngDistrito de Beja
  3. BRG.pngDistrito de Braga
  4. BGC.pngDistrito de Bragança
  5. CTB.pngDistrito de Castelo Branco
  6. CBR.pngDistrito de Coimbra
  7. EVR.pngDistrito de Évora
  8. FAR.pngDistrito de Faro
  9. GRD.pngDistrito da Guarda
  10. LRA.pngDistrito de Leiria
  11. LSB.pngDistrito de Lisboa
  12. PTG.pngDistrito de Portalegre
  13. PRT.pngDistrito do Porto
  14. STR.pngDistrito de Santarém
  15. STB.pngDistrito de Setúbal
  16. VCT.pngDistrito de Viana do Castelo
  17. VRL.pngDistrito de Vila Real
  18. VIS.pngDistrito de Viseu

Lista dos distritos administrativos extintoseditar | editar código-fonte

  1. Angra do Heroísmo, Azores, Portugal (brasões).pngDistrito de Angra do Heroísmo
  2. FNC.pngDistrito do Funchal
  3. HRT.pngDistrito da Horta
  4. LMG.pngDistrito de Lamego
  5. PDL.pngDistrito de Ponta Delgada

Lista dos atuais distritos judiciaiseditar | editar código-fonte

  1. CBR.pngDistrito judicial de Coimbra
  2. EVR.pngDistrito judicial de Évora
  3. LSB.pngDistrito judicial de Lisboa
  4. PRT.pngDistrito judicial do Porto

Lista dos distritos judiciais extintoseditar | editar código-fonte

  1. Azr.pngDistrito judicial dos Açores

Distritos do antigo Ultramar Portuguêseditar | editar código-fonte

Os territórios ultramarinos portugueses de Angola, Moçambique e Índia estavam divididos em distritos administrativos, cada um com um governador de distrito, subordinado ao governador-geral do território.

Além disso, o Ultramar Português estava dividido em três grandes distritos judiciais, com sede em Luanda, Lourenço Marques e Goa. O distrito judicial de Luanda incluía Angola e São Tomé e Príncipe. O de Lourenço Marques incluía Moçambique. O de Goa incluía a Índia Portuguesa, Macau e Timor Português. Cabo Verde e a Guiné Portuguesa estavam integradas no distrito judicial de Lisboa.

Lista dos antigos distritos administrativos de Angolaeditar | editar código-fonte

  1. Distrito de Bengo
  2. Distrito de Benguela
  3. Distrito do Bié
  4. Distrito de Cabinda
  5. Distrito do Cuando-Cubango
  6. Distrito do Cuanza-Norte
  7. Distrito do Cuanza-Sul
  8. Distrito do Cunene
  9. Distrito do Huambo
  10. Distrito da Huíla
  11. Distrito de Luanda
  12. Distrito da Lunda-Norte
  13. Distrito da Lunda-Sul
  14. Distrito de Malanje
  15. Distrito do Moxico
  16. Distrito de Moçâmedes
  17. Distrito do Uíge
  18. Distrito do Zaire

Lista dos antigos distritos administrativos de Moçambiqueeditar | editar código-fonte

  1. Distrito do Niassa
  2. Distrito de Cabo Delgado
  3. Distrito de Nampula
  4. Distrito da Zambézia
  5. Distrito de Tete
  6. Distrito de Manica
  7. Distrito de Sofala
  8. Distrito de Gaza
  9. Distrito de Inhambane
  10. Distrito de Lourenço Marques

Lista dos antigos distritos administrativos do Estado Português da Índiaeditar | editar código-fonte

  1. Distrito de Goa, com sede em Pangim
  2. Distrito de Damão, com sede em Damão
  3. Distrito de Diu, com sede em Diu

lista dos antigos distritos judiciais do Ultramar Portuguêseditar | editar código-fonte

  1. Distrito judicial de Luanda
  2. Distrito judicial de Lourenço Marques
  3. Distrito judicial de Goa

Ver tambémeditar | editar código-fonte

Referências








Creative Commons License