File Transfer Protocol

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de FTP)
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde dezembro de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Protocolos Internet (TCP/IP)
Camada Protocolo
5.Aplicação HTTP, SMTP, FTP, SSH, Telnet, SIP, RDP, IRC, SNMP, NNTP, POP3, IMAP, BitTorrent, DNS, Ping ...
4.Transporte TCP, UDP, RTP, SCTP, DCCP ...
3.Rede IP (IPv4, IPv6) , ARP, RARP, ICMP, IPsec ...
2.Enlace Ethernet, 802.11 WiFi, IEEE 802.1Q, 802.11g, HDLC, Token ring, FDDI, PPP,Switch ,Frame relay,
1.Física Modem, RDIS, RS-232, EIA-422, RS-449, Bluetooth, USB, ...

FTP significa File Transfer Protocol (Protocolo de Transferência de Arquivos), e é uma forma bastante rápida e versátil de transferir arquivos (Portugal: conhecidos como ficheiros), sendo uma das mais usadas na Internet.

Pode referir-se tanto ao protocolo quanto ao programa que implementa este protocolo (Servidor FTP, neste caso, tradicionalmente aparece em letras minúsculas, por influência do programa de transferência de arquivos do Unix).

A transferência de dados em redes de computadores envolve normalmente transferência de arquivos e acesso a sistemas de arquivos remotos (com a mesma interface usada nos arquivos locais). O FTP (RFC 959) é baseado no TCP, mas é anterior à pilha de protocolos TCP/IP, sendo posteriormente adaptado para o TCP/IP. É o padrão da pilha TCP/IP para transferir arquivos, é um protocolo genérico independente de hardware e do sistema operacional e transfere arquivos por livre arbítrio, tendo em conta restrições de acesso e propriedades dos mesmos.

Visão geral do protocoloeditar | editar código-fonte

O protocolo é especificado na RFC 959, resumida logo a seguir.1

Um cliente realiza uma conexão TCP para a porta 21 do servidor. Essa conexão, chamada de conexão de controle, permanece aberta ao longo da sessão enquanto uma segunda conexão, chamada conexão de dados, é estabelecida na porta 20 do servidor e em alguma porta do cliente (estabelecida no diálogo entre ambos) como requisitado para a transferência de arquivo. A conexão de controle é utilizada para administração da sessão (comandos, identificação, senhas)2 entre cliente e servidor utilizando um protocolo semelhante ao Telnet. Por exemplo, "RETR filename" iria transferir o arquivo especificado de um servidor para um cliente. Devido a essa estrutura de duas portas, FTP é considerado out-of-band, ao contrário de protocolos in-band, tal como HTTP2 .

O servidor responde na conexão de controle com três dígitos de código de estado em ASCII com uma mensagem de texto opcional. Por exemplo, "200" ou "200 OK" significa que o último comando obteve sucesso. Os números representam o número do código e o texto opcional representa as explicações ou parâmetros necessários3 . Uma transferência de arquivo em progresso, sobre uma conexão de dados, pode ser abortada utilizando uma mensagem de interrupção enviada sobre a conexão de controle.

FTP pode ser executado em modo ativo ou passivo, os quais determinam como a conexão de dados é estabelecida. No modo ativo, o cliente envia para o servidor o endereço IP e o número da porta na qual ele irá ouvir e então o servidor inicia a conexão TCP. Em situações onde o cliente está atrás de um firewall e inapto para aceitar entradas de conexões TCP, o modo passivo pode ser utilizado. O cliente envia um comando PASV para o servidor e recebe um endereço IP e um número de porta como resposta, os quais o cliente utiliza para abrir a conexão de dados com o servidor.1 Ambos os modos foram atualizados em Setembro de 1998 para adicionar suporte ao IPv6 e feitas algumas mudanças no modo passivo, tornando-o modo passivo estendido.4 .

Durante a transferência de dados sobre a rede, quatro representações de dados podem ser utilizadas5 :

  • Modo ASCII: usado para texto. Dado é convertido, se necessário, da representação de caracteres do host remetente para 8-bit em ASCII antes da transmissão, e (novamente, se necessário) para a representação de caracteres do host destinatário. Como consequência, esse modo é inapropriado para arquivos que contenham dados numéricos em binário, ponto flutuante ou forma decima codificada em binário.
  • Modo imagem (normalmente chamada de modo binário): a máquina remetente envia cada arquivo byte a byte e como tal, o destinatário armazena o fluxo de bytes conforme ele os recebe (o suporte ao modo imagem tem sido recomendado para todas as implementações de FTP).
  • Modo EBCDIC: utilizado para texto simples entre hosts utilizando o conjunto de caracteres EBCDIC.
  • Modo local: permite que dois computadores com configurações idênticas enviem dados em um formato proprietário sem a necessidade de convertê-los para ASCII.

Para arquivos texto, são fornecidas opções para diferentes controles de formato e estrutura de registros. Esses recursos foram projetados para suporte à formatação Telnet ou ASA.

A transferência de dados pode ser feita em qualquer um dos três modos a seguir:3

  • Modo fluxo: dado é enviado como um fluxo contínuo, liberando FTP de fazer algum processamento. Ao invés disso, todo processamento é deixado para o TCP. Nenhum indicador de fim de arquivo é necessário, a menos que o dado esteja dividido dentro de registros.
  • Modo de bloqueio: FTP quebra o dado dentro de vários blocos( bloco de cabeçalho, contagem de byte e campo de dado) e então passa-o para o TCP.5
  • Modo comprimido: dado é comprimido utilizando um algoritmo simples.

Como ocorre a transferência de arquivoseditar | editar código-fonte

A transferência de arquivos dá-se entre um computador chamado "cliente" (aquele que solicita a conexão para a transferência de dados) e um servidor (aquele que recebe a solicitação de transferência). O utilizador, através de software específico, pode selecionar quais arquivos enviar ou receber do servidor. Para existir uma conexão ao servidor,caso o servidor exija,o utilizador informa um nome de utilizador (ou username, em inglês) e uma senha password, bem como o nome correcto do servidor ou seu endereço IP.

Se os dados foram informados corretamente, a conexão pode ser estabelecida.

Acesso aos servidores FTPeditar | editar código-fonte

O acesso a servidores FTP pode ocorrer de dois modos: através de uma interface ou através da linha de comando, tanto usuários UNIX como usuários Windows podem acessar através dos dois modos. O modo linha de comando está presente em qualquer distribuição UNIX-like e Windows, através do telnet.

A partir de qualquer browser credenciado (Internet Explorer, Firefox, ou mesmo no Windows Explorer), conforme a norma RFC17386 também é possível aceder a um servidor FTP digitando na barra de endereço:

ftp://[username]:[password]@[servidor]

ou

ftp://[username]:[password]@[servidor]:[porta]

Modos e interfaceseditar | editar código-fonte

O protocolo subjacente ao FTP pode rodar nos modos interativo ou batch. O cliente FTP fornece uma interface interativa, enquanto que o MIME e o HTTP usam-no diretamente. O protocolo permite a gravação e obtenção de arquivos, a listagem da pasta e a alteração da pasta de trabalho.

Comandos do cliente FTPeditar | editar código-fonte

Os servidores de FTP raramente mudam, mas novos clientes FTP aparecem com bastante regularidade. Estes clientes variam no número de comandos que implementam, a maioria dos clientes FTP comerciais implementam apenas um pequeno subgrupo de comandos FTP. Mesmo que o FTP seja um protocolo orientado a linha de comandos, a nova geração dos clientes FTP esconde esta orientação num ambiente gráfico, muitas vezes, muito desenvolvido.

A interface cliente do FTP do BSD UNIX é um padrão por si mesma, possuindo muitos comandos arcaicos como tenex ou carriage control, que hoje não têm uso. Os comandos mais usados são o cd, dir, ls,get e put.

O FTP tem particularidades que são hoje pouco comuns. Depois da ativação do ftp, é estabelecida uma conexão ao host remoto. Esta conexão envolve o uso da conta do usuário no host remoto, sendo que alguns servidores FTP disponibilizam anonymous FTP.

Certos comandos são os que fazem a transferência bidirecional de arquivos, são eles:

  • get do servidor FTP para o host local (mget para mais que um arquivo)
  • put para o servidor FTP a partir do host local (mput para mais que um arquivo)

Nota: alguns comandos podem não funcionar com o usuário sendo anonymous, pois tal conta tem limitações de direitos a nível do sistema operacional.

Tradução de nomes de arquivoseditar | editar código-fonte

A sintaxe dos nomes dos arquivos pode ser incompatível entre diferentes Sistemas Operacionais. O UNIX usa 128 caracteres, maiúsculas e minúsculas, enquanto que o DOS usa 8 + 3 caracteres e apenas maiúsculas. Certos nomes não podem ser usados em alguns sistemas. Devido a isto tudo o BSD ftp define regras para a tradução de nomes.

Mensagens FTPeditar | editar código-fonte

O FTP permite dois modos de transferência de mensagens FTP: texto (com traduções apropriadas) ou binário (sem tradução). Cada mensagem do servidor inclui um identificador decimal de 3 dígitos (exemplo: 226 Transfer complete). Estas mensagens podem ser vistas ou não, usando para isso o modo verbose ou quiet, respectivamente.

Modo cliente-servidor do FTPeditar | editar código-fonte

O servidor remoto aceita uma conexão de controle do cliente local. O cliente envia comandos para o servidor e a conexão persiste ao longo de toda a sessão (tratando-se assim de um protocolo que usa o TCP).

O servidor cria uma conexão de dados para a transferência de dados, sendo criada uma conexão para cada arquivo transferido. Estes dados são transferidos do servidor para o cliente e vice e versa.

Os comandos estão separados dos dados e o cliente pode enviar comandos durante a transferência de dados. O encerramento da conexão indica o fim do arquivo.

Lista de Comandos FTPseditar | editar código-fonte

Os comandos abaixo podem ser executados no FTP através da linha de comando. Os comandos do FTP podem ser abreviados, desde que não formem expressões ambíguas.

Os comandos podem estar abreviados. Seguem os comandos:

  • !: Executa o comando na máquina local.
  • ?: Semelhante a help.
  • append: Adiciona dados a um arquivo existente.
  • ascii: Configura o tipo de transferência de arquivos para ASCII.
  • bell: Emite um bip quando um comando é executado.
  • binary: Configura o tipo de transferência de arquivos para binário.
  • bye: Encerra a sessão FTP.
  • cd: Seguido de caminho/diretório muda para o diretório informado.
  • delete: Apaga um arquivo. Para mais de um arquivo usa-se mdelete.
  • debug: Estabelece a modalidade de depuração.
  • dir: Mostra o conteúdo do diretório servidor atual.
  • disconnect: Semelhante a bye.
  • get: Obtêm um arquivo do servidor. Para mais de um arquivo usa-se mget.
  • glob: Seleciona a expansão para nomes de arquivo.
  • hash: Demonstra cada bloco do arquivo durante a transferência. Cada bloco compõe-se de 1024 bytes.
  • help: Lista sumariamente todos comandos disponíveis.
  • literal: Permite enviar comandos arbitrários.
  • ls: Mostra uma lista abreviada do conteúdo do diretório servidor.Para mais de uma pasta usa-se*mls.
  • mkdir: Cria um diretório ou subdiretório no servidor.
  • prompt: Ativa/desativa o modo interativo.
  • put: Envia um arquivo ao servidor. Para enviar mais de um arquivo usa-se mput.
  • pwd: Mostra o diretório de trabalho.
  • quit: Finaliza a sessão FTP.
  • quote: Envia subcomandos do servidor FTP, como se encontram no servidor.
  • recv: Similar a get.
  • remotehelp: Solicita ajuda do servidor FTP remoto.
  • rename: Renomeia um arquivo.
  • send: Semelhante a put.
  • status: Obtem informações de estado do servidor.
  • trace: Demonstra o caminho percorrido pelo arquivo na transferência.
  • type: Especifica o tipo de representação.
  • user: Iniciar a sessão no servidor.
  • verbose: Ativa/desativa a modalidade literal.

Ver tambémeditar | editar código-fonte

Referênciaseditar | editar código-fonte

  1. a b Postel, J., & Reynolds. J. (October 1985). RFC 959. In The Internet Engineering Task Force. Retrieved from http://www.ietf.org/rfc/rfc0959.txt
  2. a b Kurose, J.F. & Ross, K.W. (2010). Computer Networking. 5th ed. Boston, MA: Pearson Education, Inc.
  3. a b Forouzan, B.A. (2000). TCP/IP: Protocol Suite. 1st ed. New Delhi, India: Tata McGraw-Hill Publishing Company Limited.
  4. Allman, M. & Metz, C. & Ostermann, S. (September 1998). RFC 2428. In The Internet Engineering Task Force. Retrieved from http://www.ietf.org/rfc/rfc2428.txt
  5. a b Clark, M.P. (2003). Data Networks IP and the Internet. 1st ed. West Sussex, England: John Wiley & Sons Ltd.
  6. http://www.ietf.org/rfc/rfc1738.txt









Creative Commons License