Francisco Gonçalves Martins

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Francisco Gonçalves Martins, único barão e visconde com grandeza de São Lourenço, (Santo Amaro, 13 de março de 180710 de setembro de 1872) foi um juiz, jornalista e político brasileiro.

Filho do fazendeiro e coronel da Guarda Nacional Raimundo Gonçalves Martins, estudou humanidades em Portugal, no seminário de Sarnache, depois cursou Direito na Universidade de Coimbra.

Ainda em Portugal, se envolveu no movimento a favor da rainha Maria II de Portugal, durante a Guerra Civil Portuguesa, fazendo parte do batalhão acadêmico que lutou a Batalha de Vouga e na de Moroços. Foi por isso obrigado a fugir para a Espanha, atravessando-a a pé e embarcando para a Inglaterra e depois à França, retornando ao Brasil em 1830.

Depois de atuar como advogado e jornalista, entrou para a magistratura, sendo juiz e chefe de polícia na Bahia, desembargador e depois nomeado ministro do Superior Tribunal de Justiça

Foi deputado geral de 1834 a 1850, presidente de província e senador do Império do Brasil de 1851 a 1872. Dirigiu a pasta de negócios do Império, sendo durante sua gestão construída a primeira estrada de ferro do Brasil e iniciada a navegação a vapor do Rio Amazonas.

Bibliografiaeditar | editar código-fonte

  • BLAKE, Augusto Victorino Alves Sacramento. Diccionario bibliographico brazileiro. Typographia Nacional, Rio de Janeiro, 1893.

Ligações externaseditar | editar código-fonte

Precedido por
João Duarte Lisboa Serra
Presidente da província da Bahia
18511852
Sucedido por
João Maurício Wanderley
Precedido por
José da Costa Carvalho
Ministro dos Negócios do Império do Brasil
18521853
Sucedido por
Luís Pedreira do Couto Ferraz
Precedido por
José Bonifácio Nascente de Azambuja
Presidente da província da Bahia
18681871
Sucedido por
João Antônio de Araújo Freitas Henriques
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.







Creative Commons License