Geografia do Paraguai

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Geografia física do Paraguai

Mapa do Paraguai

Continente América do Sul
Região América Platina
Coordenadas geográficas 23° S 58° O
Área  
 - Ranking 59º maior
 - Total 406.750 km²
 - Terra 397.300 km²
 - Água 9.450 km²
Fronteiras  
 - Total 3.995 km
 - Países vizinhos Argentina 2.880 km

Bolívia 750 km

Brasil 1.365 km

Linha costeira 0 km (sem saída para o mar)
Reivindicações marítimas  
 - Mar territorial 0 nm
 - Zona contígua 0 nm
 - Zona econômica exclusiva 0 nm
 - Plataforma continental 0 nm
Extremos de elevação  
 - Ponto mais alto Cerro San Rafael, 850 m
 - Ponto mais baixo União do rio Paraguai com o rio Paraná, 46 m
Relevo terreno baixo cortado de norte a sul pelo rio Paraguai, prolongamento do Planalto Brasileiro (leste); escarpas cortadas por solos de aluvião (noroeste); planície do Chaco (oeste).
Clima tropical seco (norte e nordeste), tropical (centro) e subtropical (sul).
Recursos naturais Energia elétrica, madeira, ferro, manganês, calcário
Uso da terra  
 - Terra arável 7.47% (2005)
 - Cultivos permanentes 0.24% (2005)
 - Outros 92.29% (2005)
Terra irrigada 670 km²
Perigos naturais inundação local no sudeste (no início de setembro a junho); as planícies pobremente drenadas podem ficar pantanosas (no início do outubro ao junho)
Problemas ecológicos desmatamento; poluição da água; péssimas condições de atendimento hospitalar para a maioria dos habitantes urbanos; perda de áreas alagadas.

A Geografia do Paraguai é um domínio de estudos e conhecimentos sobre os aspectos geográficos do território paraguaio.

No Paraguai existem três diferentes regiões geográficas: o Gran Chaco, o campo e a floresta.

O Chaco é uma planície de grande extensão na parte ocidental do país. Em compartilhamento com Bolívia e Argentina, é caracterizado pela altitude que se declina gradualmente da parte norte-ocidental para a parte sul-oriental. É revestida de áreas pantanosas e ocorrem muitas cheias durante a época em que chove.

O campo é a vegetação predominante da região central. Seu relevo é de morros e a fertilidade dos vales serranos. O tipos de vegetação característicos são a savana, as matas de galeria e a vegetação de pântano.

A área florestal está localizada em um acidente geográfico de terra baixa. Os morros de baixa altitude recortam essa região e alcançam aproximadamente 700 mm ao ano nas cordilheiras de Amambay e Mbaracayú, ambas na fronteira com o Brasil.

A rede hidrográfica é muito importante para o país. É composta pelos rios Paraná e Paraguai, servem de fronteira natural com o Brasil; pelo Pilcomayo, que é originário da Bolívia e é afluente da margem ocidental do Paraguai; e pelos acidentes geográficos lacustres do Ypoá, do Ypacaraí e do Verá.

O clima é variado do tropical ao subtropical. Suas temperaturas são elevadas e chuvas são em grande quantidade na maioria do ano.

Regiões geográficaseditar | editar código-fonte

O rio Paraguai divide o país homônimo em duas regiões geográficas: a Região Oriental, na margem esquerda e a Região Ocidental ou Chaco, na margem direita.

Região Orientaleditar | editar código-fonte

O relevo da Região Oriental é uma continuação do Planalto Brasileiro, que aí alcança uma altitude média de cerca de 500 metros. Ao sul, a leste e a oeste do planalto, destaca a presença de cadeias de morros ondulados. O terreno torna-se mais baixo e mais plano à medida que se aproxima, a oeste do rio Paraguai, ao sul e a leste do rio Paraná. A região baixa e pantanosa que se estende ao longo do rio Paraguai apresenta uma relativa densidade populacional. No sul do Paraguai, nas proximidades do rio Paraná, as altitudes médias baixam de 60 até 90 metros. Pântanos e florestas verdejantes cobrem essa área.

Região Ocidentaleditar | editar código-fonte

A vasta e plana região do Chaco estende da margem direita do rio Paraguai. Essa área, de terras e planícies, coberta por uma vegetação diversificada, corresponde a dois terços do país. Faz parte da região denominada Gran Chaco, formada ainda pelo sudoeste do Brasil, o leste da Bolívia e o norte da Argentina. Na região do Chaco, o terreno eleva-se gradualmente a partir do rio Paraguai, alcançando aproximadamente 300 metros na fronteira ocidental do país. Cerca de 40% dos paraguaios vivem no Chaco. Aí existem sérias dificuldades que deixam os automóveis, os caminhões e os ônibus atolarem nas estradas de terra em dias de chuva e o solo não é tão rico como o solo do Paraguai oriental.

Relevoeditar | editar código-fonte

Imagem de satélite do Paraguai.

O território paraguaio, em sua totalidade, pertence à grande bacia formada pelos rios Paraguai e Paraná. É constituído de planícies, e apenas na região leste aparecem formações montanhosas, de pouca elevação, estruturalmente ligadas ao Pantanal Brasileiro.

O rio Paraguai, que corre no sentido norte-sul, divide o país em duas partes bastante distintas. A oeste estende-se o Chaco, uma monótona planície que se eleva imperceptivelmente das margens do rio até o altiplano boliviano. A enorme planície, que ocupa também partes do território da Argentina e da Bolívia, compreende quase dois terços do território paraguaio. A leste do rio Paraguai, o terreno eleva-se suavemente e forma uma região de colinas que, nos pontos mais altos das montanhas de Amambay e Mbaracayú, atingem 700m acima do nível do mar. No sudeste, o terreno volta a descer em direção ao vale do rio Paraná, que em alguns pontos corre pelo planalto de mesmo nome, o que facilitou a construção de represas e usinas hidrelétricas.

Climaeditar | editar código-fonte

O clima do Paraguai é, em geral, subtropical, menos em alguns trechos da região do Chaco, com temperatura parecida à do Planalto Central Brasileiro, onde é quente e úmido. O país é cortado pelo trópico de Capricórnio ao centro, próximo a Concepción. A posição central e plana do Paraguai, praticamente em barreiras naturais, favorece os rápidos efeitos dos ventos quentes originários do Equador, e dos ventos frios que vêm da Argentina, causando variações térmicas acentuadas.

No verão, as temperaturas variam entre 26°C e 33°C, e no inverno entre 15°C e 26°C. A temperatura média é de 23°C, enquanto que a máxima absoluta de 41°C e a mínima é de 1°C. A diferença entre a temperatura média do verão e a do inverno é de 6°C. Uma das características do clima paraguaio é a alta temperatura sentida no verão, especialmente na região dos campos e do Chaco, e o frio intenso que ocorre no período do inverno.

São muito freqüentes e quase sempre abundantes as chuvas no território paraguaio. O tamanho do país tem influência na quantidade de chuvas, acentuando a estação seca especialmente na fronteira com Bolívia e Argentina. Pode-se considerar bem elevado o índice de chuvas no Planalto do Paraná, com 2.000 mm anuais. Na capital, Assunção cai para 1.300 mm e no Chaco para 800 mm. Os meses de concentração das chuvas são dezembro, janeiro e fevereiro, caindo durante os meses de inverno.

Hidrografiaeditar | editar código-fonte

Paisagem do rio Paraguai.

Três grandes rios convergem para o sul do país: o Pilcomayo, o Paraná e o Paraguai. Este último nasce no Brasil, atravessa extensas planícies de aluvião e divide o país em duas partes, oriental e ocidental. Em frente a Assunção, recebe o Pilcomayo, que, procedente da Bolívia, corre de noroeste a sudeste através do Grande Chaco. Embora caudaloso, o Pilcomayo é de regime muito irregular e, na estação seca, o fluxo de suas águas chega a interromper-se em algumas zonas pantanosas.

Também o rio Paraguai registra oscilações de caudal, mas é navegável em todo seu trecho paraguaio. Seus afluentes da margem ocidental, provindos do Chaco, só correm na estação chuvosa. Embora mais curtos, os da margem oriental, como o Apa, o Aquidabán, o Ypané, o Jejuí e o Tebicuary são de regime mais regular.

O Paraná, procedente do Brasil, é navegável em quase todo seu percurso no país e suas águas, represadas em vários pontos, alimentam a Usina Hidrelétrica de Itaipu. Em sua margem paraguaia, recebe o Monday e o Acaray.


Vegetaçãoeditar | editar código-fonte

Paisagem do Chaco no Paraguai.

O território do Paraguai tem três regiões com vegetação característica em função da diferença na precipitação pluviométrica. Há florestas, o Chaco e campos. As florestas situam-se na Região Oriental, principalmente nos vales próximos aos grandes rios, onde há madeiras de lei como o urunday, o cedro, o curupay e o lapacho, entre outras. Os campos situam-se na parte central do país, onde há grandes fazendas de criação de gado, que se beneficiam da grande variedade de pastagens naturais, entre as quais muitas gramíneas. Nessa região de campos há também florestas diversas acompanhando as margens dos rios.

Já a região do Chaco é formada por gramíneas e florestas próximas ao rio Paraguai. O quebracho é uma árvore característica da região, de onde se extrai o tanino, de grande valor comercial e vendido especialmente para os mercados estadunidense e britânico. Na regiões mais secas do Chaco há arbustos e cactos gigantes. Em função do clima, tipo de solo e vegetação, o Chaco é considerado uma região inóspita e ocupa cerca de 60% do território do país.

Os campos, que ocupam cerca de 20% da superfície do Paraguai, foram ocupados em primeiro lugar. No entanto, nas últimas décadas as florestas também passaram a ser ocupadas pelos fazendeiros, que implantaram ali extensas plantações de soja, que é exportada, em sua maior parte, através do porto brasileiro de Paranaguá. Milhares de colonos brasileiros se estabeleceram no Paraguai, especialmente nas fronteiras, como donos de fazendas ou trabalhadores rurais.

Faunaeditar | editar código-fonte

A fauna paraguaia, idêntica à do Centro-Oeste brasileiro, inclui a onça, muito freqüente no Chaco, o queixada, o cervo, tatu e tamanduá. Há também muitas espécies de pássaros e aves tropicais, como emas, seriemas, garças, tucanos e papagaios.

Ligações externaseditar | editar código-fonte


Flag-map of Paraguay.svg Paraguai
História • Política • Subdivisões • Geografia • Economia • Demografia • Cultura • Turismo • Portal • Imagens







Creative Commons License