Hans Frank

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Hans Frank
Governador-geral da Flag of the NSDAP (1920–1945).svg Polônia
Mandato 26 de outubro de 1939
até Janeiro de 1945
Membro do Reichstag da Flag of Germany (3-2 aspect ratio).svg Alemanha
Mandato 1930 até 1933
Vida
Nascimento 23 de Maio de 1900
Karlsruhe, Grão-ducado de Baden, Império Alemão
Morte 16 de outubro de 1946 (46 anos)
Nuremberg, Alemanha
Progenitores Mãe: Magdalena Buchmaier
Pai: Karl Frank
Dados pessoais
Cônjuge Brigitte Herbst
Partido NSDAP
Profissão Advogado
Serviço militar
Serviço/ramo War Ensign of Germany 1903-1918.svg Exército do Império Alemão
Freikorps Roßbach 1919.png Freikorps
Anos de serviço 1917 - 1918 (Exército do Império Alemão)
1919 - 1920 (Freikorps)
Batalhas/guerras I Guerra Mundial

Hans Frank (Karlsruhe, 23 de maio de 1900Nuremberg, 16 de outubro, 1946) foi um advogado alemão, filiou-se em 1919 ao Partido operário Alemão, depois re-batizado de Partido Nacional Socialista, era católico conservador, lutou na Primeira Guerra Mundial como Freikorps (corpo de voluntários prussianos).

Carreiraeditar | editar código-fonte

Em 1930 foi eleito deputado pelo NSDAP em 1933, que ocupou o cargo de Governador-Geral da Polônia ocupada durante a Segunda Guerra Mundial, quando organizou e comandou a escravização, os trabalhos forçados e a morte de milhões de judeus e poloneses, no que ficou historicamente conhecido como Holocausto.

Amparou judicialmente os assassinatos de Dacha e da "Noite das Facas Longas". E, 1934, foi nomeado ministro sem pasta do Terceiro Reich. Em setembro de 1939, o General Gerd von Rundstedt, nomeou-o chefe da administração na Polônia e, posteriormente Hitler o transformou-o em Generalgouverneur.

Com o grau de Obergruppenführer SS, organizou a reclusão de judeus nos guetos e os trabalhos forçados da população. Em 1942 pronunciou uma série de discursos que desagradaram Hitler e participou da luta de Friedrich Wilhelm Krüger pela secretaria de segurança, que finalmente foi obtida por Wilhelm Koppe.1

Julgamentoeditar | editar código-fonte

Fugiu em 1945, pouco antes da chegada do Exército Vermelho, e foi capturado pelos norte-americanos no interior da Alemanha, no dia 4 de maio de 1945 em Berchtesgaden, e tentou infrutiferamente o suicídio duas vezes seguidas.

Tentou reduzir seu compromisso apresentando 14 petições de demissão enviadas e que não foram aceitas por Hitler, juntamente com 40 volumes de seus diários pessoais.

Julgado pelo Tribunal de Nuremberg após a guerra, foi condenado à morte por crimes contra a humanidade e enforcado em 16 de outubro de 1946. Seus últimos momentos no patíbulo, foram assim descritos por uma testemunha ocular, o jornalista da CBS Howard K. Smith:

Cquote1.svg Hans Frank foi o próximo na parada da morte. Ele foi o único dos condenados a entrar na câmara com um sorriso em seu semblante.

Apesar de nervoso e de engolir em seco seguidamente, esse homem, que havia se convertido à fé católica romana após sua prisão, parecia aliviado com a perspectiva de expiar sua culpa por seus atos demoníacos.

Ele respondeu calmamente à chamada de seu nome e quando perguntado se tinha alguma última declaração a fazer, disse numa voz que era quase um suspiro: "Eu agradeço pelo tratamento que tive durante o cativeiro e peço a Deus que me receba em sua piedade"

Cquote2.svg

Referências

  1. Coleção 70º Aniversário da Segunda Guerra Mundial, Fascículo 02- Abril, 2009. Pag. 23,

==Shader ==

  • Coleção 70º Aniversário da Segunda Guerra Mundial, Fascículo 02- Abril, 2009
  • Kahn, Leo. "Julgamento em Nuremberg" - História Ilustrada da 2ª Guerra Mundial, Renes, 1972
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.







Creative Commons License