Horst Köhler

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Horst Köhler
Presidente da Alemanha Alemanha
Mandato 1 de julho de 2004
a 31 de maio de 2010
Primeiro-ministro Gerhard Schröder
Angela Merkel
Antecessor(a) Johannes Rau
Sucessor(a) Christian Wulff
Diretor-geral do Fundo Monetário Internacional Fundo Monetário Internacional.jpg
Mandato 1 de maio de 2000
a 4 de março de 2004
Antecessor(a) Michel Camdessus
Sucessor(a) Rodrigo de Rato
Presidente do Banco Europeu para a Reconstrução e o Desenvolvimento
Mandato 1998
a 2000
Antecessor(a) Jacques de Larosière
Sucessor(a) Jean Lemierre
Vida
Nascimento 22 de Fevereiro de 1943 (71 anos)
Heidenstein, Governo Geral
Dados pessoais
Alma mater Universidade de Tubinga
Primeira-dama Eva Luise Bohnet
Partido Cdu-logo.svg União Democrata-Cristã
Religião Protestante
Profissão Economista
Assinatura Assinatura de Horst Köhler

Horst Köhler GColIH (pronúncia AFI[ˈhɔɐ̯st ˈkøːlɐ] ) (Skierbieszów, 22 de fevereiro de 1943) é um político alemão filiado à União Democrata-Cristã. Foi o presidente da Alemanha de 2004 a 2010. Como candidato do partido irmão da UDC, a União Social-Cristã, e o Partido Democrático Liberal, Köhler foi eleito ao seu primeiro mandato de cinco anos pela Assembleia Federal em 23 de maio de 2004 e tomou posse subsequentemente em 1º de julho de 2004. Foi reeleito para um segundo mandato em 23 de maio de 2009. Apenas um ano depois, em 31 de maio de 2010, ele renunciou o cargo em uma controvérsia envolvendo seus comentários sobre o papel das Forças Armadas da Alemanha à luz de uma visita das tropas ao Afeganistão.

É professor de economia. Antes de sua eleição a Presidente, Köhler tinha uma carreira distinta na política e no serviço civil e como um executivo bancário. Ele foi o Presidente do Banco Europeu para Reconstrução e Desenvolvimento de 1998 a 2000 e presidiu o Fundo Monetário Internacional (FMI) de 2000 a 2004.

Embora o cargo de Presidente seja menos influente que o de Chanceler e seja mais centrado no lado cerimonial, Köhler tornou-se o político mais popular da Alemanha durante o seu mandato, com índices de aprovação recordes. Ele apelou por uma maior influência presidencial e sugeriu que o Presidente deva se eleito por sufrágio direto novamente, como era feito na Alemanha sob a Constituição de Weimar.

A 2 de Março de 2009 recebeu o Grande-Colar da Ordem do Infante D. Henrique, dia em que sua mulher Eva Luisa Bohnet foi agraciada com a Grã-Cruz da mesma Ordem.1

Renúnciaeditar | editar código-fonte

Em consequência das críticas aos seus comentários a respeito das ações militares e dos interesses comerciais de seu país, Köhler renunciou ao cargo de Presidente da Alemanha em 31 de maio de 20102 3 .

De acordo com a Lei Fundamental (que tem o papel de constituição na Alemanha), seu sucessor interino é o presidente da Câmara Alta (Bundesrat) do Parlamento, o social-democrata Jens Böhrnsen. O sucessor definitivo deve ser eleito nos trinta dias seguintes à renúncia pela Assembleia Federal.

Referências

  1. http://www.ordens.presidencia.pt/
  2. Presidente da Alemanha renuncia após comentários sobre políticas do governo (em português). O Estado de S. Paulo (31 de maio de 2010). Página visitada em 31 de maio de 2010.
  3. Presidente da Alemanha renuncia após polêmicas declarações sobre Exército (em português). Zero Hora (31 de maio de 2010). Página visitada em 31 de maio de 2010.

Ligações externaseditar | editar código-fonte

Commons
O Commons possui multimídias sobre Horst Köhler
Precedido por
Johannes Rau
Presidente da Alemanha
20042010
Sucedido por
Christian Wulff
Ícone de esboço Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.







Creative Commons License