Inhumas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Inhumas
"Goiabeiras"
Bandeira desconhecida
Brasão de Inhumas
Bandeira desconhecida Brasão
Hino
Aniversário 19 de Março
Fundação 1931
Gentílico inhumense
Prefeito(a) Dioji Ikeda (PDT)
(2013–2016)
Localização
Localização de Inhumas
Localização de Inhumas em Goiás
Inhumas está localizado em: Brasil
Inhumas
Localização de Inhumas no Brasil
16° 21' 28" S 49° 29' 45" O16° 21' 28" S 49° 29' 45" O
Unidade federativa  Goiás
Mesorregião Centro Goiano IBGE/2008 1
Microrregião Anápolis IBGE/2008 1
Região metropolitana Região Metropolitana de Goiânia [1]
Municípios limítrofes Araçu, Brazabrantes, Caturaí, Damolândia, Goianira e Itauçu
Distância até a capital 35 km
Características geográficas
Área 613,349 km² 2
População 47,572 hab. Censo IBGE/20103
Densidade 0,08 hab./km²
Altitude 770 m
Clima Tropical (Semi-Úmido Quente)
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,720 alto PNUD/2010 4
PIB R$ 396 811,693 mil IBGE/20085
PIB per capita R$ 8 523,50 IBGE/20085
Página oficial

Inhumas é um município brasileiro do estado de Goiás.

Históriaeditar | editar código-fonte

Políticaeditar | editar código-fonte

Quando ainda era distrito do Município de Itaberaí, de 1896 a 1931, Inhumas foi governada por subintendentes nomeados. Depois de emancipada, Inhumas foi dirigida por prefeitos municipais, no incício nomeados pelo governo estadual e, depois, eleitos diretamente pelo povo. Estes são os seus nomes:

Subintendentes
  • 1° - 1896 a 1896 - Virginio Pereira da Cunha
  • 2° - 1903 a 1907 - Gabriel dos Passos Assumpção
  • 3° - 1907 a 1909 - José de Freitas Machado
  • 4° - 1909 a 1913 - Aurelino Caetano Machado
  • 5° - 1921 a 1926 - Cesário Silva
  • 6° - 1926 a 1927 - José Rodrigues Rabelo
  • 7° - 1927 a 1930 - João A. de Oliveira Lobo
  • 8° - 1930 a 1931 - José Rodrigues Rabelo
Prefeitos
  • 1° - 1931 a 1936 - José Rodrigues Rabelo (nomeado)
  • 2° - 1936 a 1945 - José de Arimathea e Silva (eleito e nomeado)
  • 3° - 1945 a 1946 - Geraldo Majela Fraklin Ferreira (nomeado)
  • 4° - 1946 a 1947 - Sebastião de Almeida Guerra (nomeado)
  • 5° - 1947 a 1947 - Leônidas Luiz Brandão (nomeado)
  • 6° - 1947 a 1951 - Sebastião de Almeida Guerra
  • 7° - 1951 a 1955 - Elpídio Luiz Brandão
  • 8° - 1955 a 1959 - Sebastião de Almeida Guerra
  • 9° - 1959 a 1961 - Joaquim Gonçalves de Azevedo
  • 10°- 1961 a 1966 - Nelo Egídio Balestra
  • 11°- 1961 a 1961 - Francisco Arataque (vice-prefeito)
  • 12°- 1966 a 1970 - Alcântara Marques Palmeira
  • 13°- 1970 a 1973 - Firmo Luiz de Melo e Souza
  • 14°- 1973 a 1977 - Domingos Garcia Filho
  • 15°- 1977 a 1983 - Irondes José de Morais
  • 16°- 1983 a 1989 - José Essado Neto
  • 17°- 1989 a 1993 - Irondes José de Morais
  • 18°- 1993 a 1996 - João Antônio Ferreira
  • 19°- 1997 a 2000 - Luiz Otávio do Nascimento
  • 20°- 2001 a 2004 - José Essado Neto
  • 21°- 2005 a 2008 - Abelardo Vaz Filho
  • 22°- 2009 a 2009 - Antônio Domingos Braga(Interino)
  • 23°- 2009 a 2012 - Abelardo Vaz Filho
  • 24º- 2010 a 2010 - Maria Rita Rezende(Interina)
  • 25°- 2009 a 2012 - Abelardo Vaz Filho
  • 25°- 2013 - Dioji Ikeda

Geografiaeditar | editar código-fonte

  • IDH - Educação: 0,842
  • IDH - Longevidade: 0,754
  • IDH - Renda: 0,699
  • IDH - Municipal: 0,765
  • Distritos/Povoados/Aglomerados: Povoado de Santa Amália.

Economiaeditar | editar código-fonte

  • Arrecadação: Arrecadação de ICMS: 7.036 (2004)
  • Indústria de Couro: Centrocouros
  • Distrito Industrial: Distrito Agroindustrial - DAI (jan/2005)
  • Frigoríficos/Entrepostos de ovos: 'FRI-SOL - Frigorífico Sol Nascente Ltda.; FRIMAS Frigorífico Ltda.; GAASA e Alimentos Ltda.; Carvalho e Pinheiro Ltda. (7 de Junho de 2005)
  • Estabelecimentos bancários:
    • Banco do Brasil S.A.;
    • Banco Itaú S.A.;
    • Banco SICOOB - Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil;
    • BRADESCO S.A.;
    • Caixa Econômica Federal;
    • HSBC Bank Brasil S.A.- Banco Múltiplo.

Educaçãoeditar | editar código-fonte

Ensino superioreditar | editar código-fonte

Públicas
Privadas

Ensino médio técnicoeditar | editar código-fonte

Públicas Federais
  • IFGoiás (CEFET-GO) - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás (Campus Inhumas)

Ensino médio regular ou EJAeditar | editar código-fonte

Públicas
  • Colégio Estadual Ary Ribeiro Valadão Filho
  • Colégio Estadual Manoel Vilaverde
  • Colégio Estadua Horácio Antônio de Paula
  • Colégio Estadual Joaquim Pedro Vaz


Privadas
  • Colégio Einstein
  • Colégio Monsenhor
  • Colégio Linus
  • Colégio Zênite

Ensino Fundamental 1ª e 2ª faseseditar | editar código-fonte

Públicas
  • Centro de Atendimento Educacional Especializado Diurza Leão
  • Colégio Estadual Presidente Castelo Branco
  • Colégio Estadual Rui Barbosa
  • Escola Estadual João Lobo Filho
  • Escola Estadual Antônio Augusto do Carmo
  • Escola Estadual Belarmino Essado
  • Escola Municipal Alessandro Miguel
  • Escola Municipal Agropecuária(conhecida como Escola Agrícola)
  • Escola Municipal Padre Feliciano
Privadas
  • Educandário Nossa Senhora do Rosário
  • Escola e Berçário Amor Perfeito
  • Escolinha da Mônica
  • Escola Infantil Carrossel
  • Escola Moriá
  • Escola Balão Mágico

Cultura e comunicaçãoeditar | editar código-fonte

Jornais impressoseditar | editar código-fonte

Nome Frequência da publicação
Jornal Mercadão Mensal
Jornal A Voz Mensal
Jornal da Época Esporadicamente
Jornal O Goianão Mensal

'Jornal A PalavraBimestral

Canais de rádioeditar | editar código-fonte

Frequência Rádio Programação
87.9 FM Educativa FM Comunitária
105,3 FM Rede Aleluia Privada
1050 AM Rádio Jornal de Inhumas Privada
94,9 FM Rádio Cultura Fm - Interativa Fm Privada

NOTA: Nenhuma dessas rádios da cidade tem link para acesso via internet.


Hino da Cidade de Inhumas -( Não oficial-não é reconhecido pelas autoridades como oficial) -


  • Havia uma fazenda...
  • Bem no meio do cerrado de Goiás.
  • Uma fazenda pequena...
  • Com pés de cedro que deu nome ao lugar.
  • A fazenda foi crescendo...
  • E os pés de cedro já não estavam lá mais...
  • Onde passavam os viajantes
  • Que saíam de Campinas à Goiás.
  • E as goiabeiras que nasceram pela estrada...
  • Com as novas casas, a paisagem do lugar.
  • Goiabeiras, que era o nome dessa vila...
  • Já não podiam mais dar nome ao lugar.
  • Então pousaram algumas aves fascinantes...
  • Nas goiabeiras para se alimentar.
  • E a quantidade de Inhumas foi crescendo...
  • Agora é a nova cidade do lugar.
  • Não esquecemos das famílias pioneiras...
  • Desde que Inhumas ainda era currutela...
  • Famílias que contribuíram a vida inteira...
  • Pro crescimento dessa terra.
  • Fazenda Cedro, roça de pé de goiaba...
  • Ficou pra trás, agora não existe mais.
  • E foi então que Inhumas se emancipou...
  • E foi crescendo... nunca mais parou.
  • Fazenda Cedro, Goiabeiras...
  • Muitas saudades de quem a ama de verdade.
  • Amada terra que sempre vai esperar...
  • O filho pródigo que a teve que deixar.
  • Quem resolver sair aqui dessa cidade...
  • Terá a certeza que vai morrer de saudade...
  • Irá querer voltar aqui pra perceber...
  • Que Inhumas é o melhor lugar pra se viver.
  • Fazenda Cedro, Goiabeiras...
  • Muitas saudades de quem a ama de verdade.
  • Amada terra que sempre vai esperar...
  • O filho pródigo que a teve que deixar.
  • Fazenda Cedro, Goiabeiras...
  • Muitas saudades de quem a ama de verdade...
  • Amada terra que sempre vai esperar...
  • O filho pródigo que um dia vai voltar...
  • Fazenda Cedro, Goiabeiras...
  • Você pra mim é a jóia daqui desse lugar...
  • Do interior aqui do cerrado goiano...
  • É uma ave que o progresso faz voar.


Autor: Davi Seravali Pimenta


Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010. Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 3 de janeiro de 2012.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Página visitada em 31 de julho de 2013.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.

Ligações externaseditar | editar código-fonte








Creative Commons License