James Cook

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
James Cook
Retrato do capitão James Cook,
por Nathaniel Dance (~1775).
Nascimento 27 de outubro de 1728
Marton
Morte 14 de fevereiro de 1779 (50 anos)
Kealakekua
Nacionalidade Reino Unido Britânico
Ocupação Explorador, navegador e cartógrafo
Prêmios Medalha Copley (1776)
Assinatura James Cook Signature.svg

O capitão James Cook FRS RN (Marton, 27 de outubro de 1728Kealakekua, 14 de fevereiro de 1779) foi um explorador, navegador e cartógrafo inglês tendo depois alçado a patente de Capitão na Marinha Real Britânica. Cook foi o primeiro a mapear Terra Nova antes de fazer três viagens para o Oceano Pacífico durante a qual ele conseguiu o primeiro contacto europeu com a costa leste da Austrália e o Arquipélago do Havaí, bem como a primeira circunavegação registrada da Nova Zelândia1 .

James Cook entrou na marinha mercante britânica quando era adolescente2 e ingressou na Marinha Real em 1755. Ele participou da Guerra dos Sete Anos, e posteriormente estudou e mapeou grande parte da entrada do Rio São Lourenço durante o cerco de Quebec. Isso permitiu que General Wolfe fizesse o seu famoso ataque nas Planícies de Abraão, e ajudou a levar Cook à atenção da Admiralty e Royal Society. Esta notícia veio em um momento crucial, tanto na sua carreira pessoal e na direção das explorações ultramarinhas britânicas, e levou o seu cargo em 1766 como comandante da HM Bark Endeavour para a primeira das três viagens do Pacífico.

Cook cartografou muitas áreas e registrou várias ilhas e zonas costeiras nos mapas europeus pela primeira vez. Seus resultados podem ser atribuídos a uma combinação de navegação, superior levantamento cartográfico e competências, a coragem em explorar locais perigosos para confirmar os factos (por exemplo, a imersão no Círculo Polar Antártico repetidamente e explorar ao redor da Grande Barreira de Coral), uma capacidade de conduzir os homens em condições adversas, e ousadia, tanto em relação à medida da sua exploração e sua vontade de ultrapassar as instruções dadas a ele pelo Admiralty2 .

No seu livro "Colapso" (2005), o biólogo e biogeógrafo Jared Diamond (E.U.A) cita um registro feito por Cook em que o capitão descreve uma breve visita à ilha de Páscoa, em 1744. "Pequenos, magros, tímidos e miseráveis", foi como Cook descreveu os insulares, que já enfrentavam um forte problema ambiental.

Cook morreu na baía havaiana de Kealakekua em 1779, em uma luta com os nativos durante a sua terceira viagem exploratória na região do Pacífico. A casa de Cook na Inglaterra é hoje um memorial. Cook é considerado o pai da Oceania.

Primeiros anoseditar | editar código-fonte

James Cook nasceu na vila de Marton em Yorkshire, hoje pertencente a um subúrbio da cidade de Middlesbrough3 . Cook foi baptizado na igreja local de St. Cuthbert's, em cujo registro pode-se hoje ver o seu nome. Cook foi o segundo dos oito filhos de James Cook, um trabalhador de fazenda escocês, e sua esposa natural do local Grace Pace de Thornaby-on-Tees2 3 . Em 1736, a sua família mudou para a fazenda Airey Holme em Great Ayton, onde o patrão do seu pai, Thomas Skottowe pagou para ele frequentar a escola local (agora um museu).1 Em 1741, após 5 anos de escolaridade, ele começou a trabalhar para o seu pai, que havia sido promovido a gerente de fazenda. Para lazer iria subir uma colina, Roseberry Topping, aproveitando a oportunidade para a solidão4 . Cook's Cottage. a última casa de seus pais, que parece que ele visitou, está agora em Melbourne, tendo sido transferida a partir da Inglaterra e reagrupados tijolo por tijolo em 19345 .

Em 1745, aos 16 anos, Cook mudou-se em 32 km para a aldeia piscatória de Staithes para ser aprendiz de vendedor em uma mercearia de William Sanderson3 . Historiadores têm especulado que foi ali onde Cook sentiu a primeira atração do mar, enquanto olhava para fora da vitrine2 .

Após 18 meses, não tendo sido aprovado para o trabalho de loja, Cook viajou para a vizinha cidade portuária de Whitby para ser apresentado a uns amigos de Sanderson, Henry e John Walker5 . Os Walkers eram proeminentes armadores locais e Quakers, e estavam no comércio de carvão. Cook foi aprendiz em sua pequena frota de navios que operavam no transporte de carvão ao longo da costa inglesa. A sua primeira missão foi a bordo do cargueiro Freelove, e ele passou vários anos nesta rota de cabotagem bem como em várias outras entre o rio Tyne e Londres.

Como parte dessa aprendizagem, Cook aplicou-se ao estudo de álgebra, geometria, trigonometria, navegação e astronomia, todas as competências que seriam necessárias no futuro para comandar um navio próprio2 .

Após seus três anos de aprendizagem concluídos, Cook começou a trabalhar no comércio naval no Mar Báltico. Ele rapidamente progrediu através das fileiras da marinha mercante, começando com a sua promoção em 1752 a Mate (funcionário encarregado de navegação) a bordo do Collier cargueiro Amizade. Em 1755, dentro de um mês, ao lhe ser oferecido o comando deste navio, voluntaria-se para a marinha e é recrutado para o que viria a ser a Guerra dos Sete Anos. Apesar da necessidade de reiniciar na parte inferior da hierarquia naval, Cook iria avançar mais rapidamente sua carreira em serviço militar, e entrou na Marinha em Wapping em 7 de junho de 17556 .

Viagens e expediçõeseditar | editar código-fonte

Em 1768, no navio HMS Endeavour, Cook foi o comandante escolhido para levar os membros da Royal Society ao Taiti, para observar o trânsito de Vênus, na primeira expedição científica pelo Pacífico. O astrônomo encarregado da observação do evento, Charles Green, faleceu durante a viagem, quando o navio passava por Batávia (antigo nome de Jacarta, capital da Indonésia)1 . Cook esteve em novembro de 1768 no Rio de Janeiro, mas os tripulantes não receberam permissão para aportar, ficando reclusos nas embarcações e sob vigia das autoridades portuguesas. O famoso naturalista Joseph Banks, que participava da expedição, teve momentos fortuitos e conseguiu recolher 320 espécies vegetais nos arredores da cidade, segundo o livro de John Hawkesworth, "An account of the voyages undertaken by the order of his Present Majesty for Making Discoveries", Londres 1773. As autoridades locais negavam a permanência de estrangeiros na colônia e o francês Louis Antoine de Bougainville enfrentou obstáculos semelhantes quando visitou o Rio de Janeiro.

O Resolution e a circunavegaçãoeditar | editar código-fonte

Após o sucesso da expedição científica, Cook prosseguiu com objectivos de exploração. Durante a viagem, descobre o arquipélago que batiza de Ilhas Sociedade, na Polinésia Francesa, e mapeia toda a Nova Zelândia. No regresso, descobre a costa ocidental da Austrália.1

Em 1772, Cook parte para nova circunavegação ao comando das naus Resolution e Adventure. Durante esta viagem chega à mais baixa latitude ao sul alcançada até então (70°10''S), cruzando pela primeira vez o Círculo Polar Antártico. Esta viagem resultou na descoberta das Ilhas Cook.

Excertos de rotas de viagens de James Cook

Em 1776, com os navios Resolution e Discovery, Cook parte para a missão que seria a sua última e descobre o arquipélago do Havaí, que chama de Sandwich. Costeia a América e atravessa o estreito de Bering, chegando ao Ártico. No regresso ao Havaí, é morto pelos nativos ao voltar a Kealakekua para consertar o mastro do Resolution.7 .

Capitão Cook sendo apunhalado no fim do Makahiki

Cook ficou conhecido pela preocupação com a saúde e a alimentação de sua tripulação. Em sua primeira viagem, nenhum membro da tripulação morre de escorbuto, doença causada pela falta de ácido ascórbico (vitamina C) no organismo e responsável pela morte de muitos marinheiros até o século XVIII.

Cquote1.svg A ambição me leva a ir não só mais longe do que qualquer outro homem antes de mim já foi, mas até tão longe quanto creio ser possível a um homem ir. Cquote2.svg
- O diário do comandante James Cook

Referências

  1. a b c d James Cook - Biografia (em português). UOL - Educação. Página visitada em 21 de agosto de 2012.
  2. a b c d e per Collingridge (2002)
  3. a b c Rigby & van der Merwe 2002, p25.
  4. Collingridge 2003, p15.
  5. a b per Horwitz (2003)
  6. Rigby & van der Merwe, p27.
  7. SAHLINS, Marshall. Ilhas de História, cap. 4

Bibliografiaeditar | editar código-fonte

  • Aughton, Peter. 2002, Endeavour: The Story of Captain Cook's First Great Epic Voyage. Cassell & Co., London.
  • Beaglehole, John, biógrafo de Cook e editor de seus jornais.
  • Collingridge, Vanessa. Feb. 2003 Captain Cook: The Life, Death and Legacy of History's Greatest Explorer, Ebury Press, ISBN 0-09-188898-0
  • Edward Duyker & Per Tingbrand Daniel Solander: Collected Correspondence 1753—1782, Miegunyah/Melbourne University Press, Melbourne, 1995, pp. 466, ISBN 0 522 84636 X [Scandinavian University Press, Oslo, 1995 ISBN 82 00 22454 6
  • Edward Duyker Nature's Argonaut: Daniel Solander 1733—1782, Naturalist and Voyager with Cook and Banks, Miegunyah/Melbourne University Press, Melbourne, 1998 et 1999, pp. 380, ISBN 0 522 84753 6
  • Edwards, Philip, ed. 2003, James Cook: The Journals. Confeccionado a partir dos manuscritos originais por J. C. Beaglehole 1955–67. Penguin Books, London.
  • Forster, Georg. A Voyage Round the World, ed. 1986 (published first 1777 as: A Voyage round the World in His Britannic Majesty's Sloop Resolution, Commanded by Capt. James Cook, during the Years, 1772, 3, 4, and 5), Wiley-VCH (1 January 1986). ISBN 978-3-05-000180-7
  • Horwitz, Tony. Oct. 2003, Blue Latitudes: Boldly Going Where Captain Cook Has Gone Before, Bloomsbury, ISBN 0-7475-6455-8
  • Hough, Richard. Captain James Cook. [S.l.]: Hodder and Stoughton, 1994. ISBN 0340825563
  • Andrew Kippis, The Life and Voyages of Captain James Cook, Westminster 1788, George Newnes, London/Charles Scribner's Sons, New York 1904.
  • Obeyesekere, Gananath. 1992, The Apotheosis of Captain Cook: European Mythmaking in the Pacific Princeton University Press. ISBN 0-691-05752-4.
  • Rae, Julie, 1997 "Captain James Cook Endeavours" Stepney Historical Trust London
  • Richardson, Brian. 2005. Longitude and Empire: How Captain Cook's Voyages Changed the World University of British Columbia Press. ISBN 0-7748-1190-0.
  • Rigby, Nigel; van der Merwe, Pieter. Captain Cook in the Pacific. [S.l.]: National Maritime Museum, London UK, 2002. ISBN 0948065435
  • Sydney Daily Telegraph. 1970, Captain Cook: His Artists - His Voyages. The Sydney Daily Telegraph Portfolio of Original Works by Artists who sailed with Captain Cook. Australian Consolidated Press, Sydney.
  • Thomas, Nicholas. 2003, The Extraordinary Voyages of Captain James Cook. Walker & Co., New York. ISBN 0-8027-1412-9
  • Villiers, Alan (Summer 1956–57). "James Cook, Seaman". Quadrant 1 (1): 7–16.
  • Villiers, Alan John, 1903–. Captain James Cook. Newport Beach, CA : Books on Tape, 1983.
  • Williams, Glyndwr, ed. 1997, Captain Cook's Voyages: 1768-1779. The Folio Society, London.
  • Williams, G (Prof.), 2002 Captain Cook: Explorer, Navigator and Pioneer, BBC History 2002
  • Diamond, Jared M. "Colapso - como as sociedades escolhem o fracasso ou o sucesso". Tradução de Alexandre Raposo. 2ª edição - Rio de janeiro: Record, 2005. (ISBN 85-01-06594-3). Título em inglês: Collapse.

Ligações externaseditar | editar código-fonte

Commons
O Commons possui multimídias sobre James Cook
Wikisource
O Wikisource contém fontes primárias relacionadas com James Cook
Precedido por
Nevil Maskelyne
Medalha Copley
1776
Sucedido por
John Mudge









Creative Commons License