Knol

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Knol
Slogan Uma unidade de conhecimento
Requer pagamento? não
Gênero Enciclopédia
Cadastro sim
Idiomas Multilingue
Lançamento 23 de julho de 2008
24 de novembro de 2008 (Coreia do Sul)
Desenvolvedor Google
Proprietário Google
Página oficial knol.google.com

Knol foi uma enciclopédia na Internet, projecto da Google, cujo conteúdo é gerado pelos utilizadores, e com tópicos que variam de "conceitos científicos, a informação médica, de informação geográfica e histórica a entretenimento, de informação sobre produtos a instruções genéricas."1 Foi anunciado publicamente em 13 de Dezembro de 2007 e ganhou sua versão pública no dia 23 de Julho do ano seguinte2 , ainda em versão beta. As páginas do Knol pretendem "ser a primeira coisa que alguém que procure pelo tópico pela primeira vez vai querer ler", de acordo com Udi Manber, vice-presidente da área de engenharia na Google.1 O termo knol, cunhado pela Google para significar "unidade de conhecimento (knowledge)"3 , refere-se a ambos o projecto e um artigo no projecto.1 O sítio tem sido visto como uma tentativa do Google para competir com a Wikipédia.4 5

Históriaeditar | editar código-fonte

O Knol foi lançado publicamente como versão beta no dia 23 de julho de 2008.

No dia 1 de maio de 2012 o Knol foi descontinuado, para que a Google possa priorizar produtos de maior impacto. Dessa data até 1 de outubro de 2012, o conteúdo não pode mais ser visualizado, mas pode ser exportado para o WordPress.com e baixado como um arquivo XML. Enquanto isso, o conteúdo ficará disponível normalmente e, após 1 de outubro, o serviço foi retirado do ar.6

Característicaseditar | editar código-fonte

Uma das suas características principais é que cada um dos artigos ou knols seja criado e escrito completamente pela mesma pessoa. Uma vez que o nome do autor está destacado no artigo, algo que em outras enciclopédias online como a Wikipédia não ocorre, a Google crê que tal irá incentivar a redacção de knols por parte de especialistas nos temas, pelo que espera que estes alcancem uma qualidade aceitável com poucas edições. Adicionalmente, permite múltiplos artigos ou knols para um mesmo tópico, o que estimula o desenvolvimento dos mesmos em termos de competência, para ter uma melhor qualidade.

Os autores podem escolher colocar publicidade nos knols utilizando o serviço AdSense da Google. O objectivo é que os autores recebam uma parte dos rendimentos que sejam produto dos acessos feitos à publicidade. Desta forma estimula-se a redacção de knols completos e de qualidade, porque a comunidade de leitores poderá comentar, avaliar, fazer perguntas e propor conteúdo adicional para os enriquecer. Esta retroalimentação espera gerar uma melhor avaliação por parte do motor de busca da Google, o que faria que os knols mais destacados ou de melhor qualidade sejam colocados mais acima nos resultados das buscas, melhorando as possibilidades de que sejam visitados e de que o autor receba dinheiro.

A Google não actua como editor, já que a ideia e a responsabilidade pelo conteúdo de cada artigo cai por completo sobre o autor, que desta forma põe a sua reputação em jogo ao redigi-lo.

Referências

  1. a b c Ubi Manber (2007-12-13). Encouraging people to contribute knowledge. Google. "Earlier this week, we started inviting a selected group of people to try a new, free tool that we are calling "knol", which stands for a unit of knowledge. Our goal is to encourage people who know a particular subject to write an authoritative article about it."
  2. http://googleblog.blogspot.com/2008/07/knol-is-open-to-everyone.html
  3. Monaghan, Angela (2007-12-14). "Google's 'knol' may challenge Wikipedia. The Daily Telegraph. Página visitada em 2007-12-15.
  4. Google debuts knowledge project. BBC (2007-12-15). Página visitada em 2007-12-15.
  5. Google prepara-se para lançar uma enciclopédia na Internet. Público (2007-12-16). Página visitada em 2007-12-16.
  6. Google. Frequently Asked Questions (em inglês). knol-redirects.appspot.com. Página visitada em 23 de novembro de 2011.

Ligações externaseditar | editar código-fonte








Creative Commons License