Larrousse

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
França Larrousse
Nome completo Larrousse
Sede Antony,  França
Chefe de equipe França Gérard Larrousse
Diretor técnico França Didier Calmels
Pilotos
Chassis LC87, LC88, LC88-B/LC89, LC89B/LC90, LC91 (Lola), LC 92 (Venturi), LH93, LH94
Motor Ford e Lamborghini
Pneus Goodyear
Histórico na Fórmula 1
Estréia San Marino GP de San Marino de 1987
Último GP Austrália GP da Austrália de 1994
Corridas concluídas 127
Campeã de construtores 0
Campeã de pilotos 0
Vitórias 0
Pole Position 0
Voltas rápidas 0
Pontos 23
Posição no último campeonato
(1994)
11º (2 pontos)

A Larrousse foi uma equipe de automobilismo que competiu na Fórmula 1 entre 1987 e 1992, usando chassis da Lola (1987-1991) e da Venturi (apenas uma temporada).

Foi fundada em 1987 por Didier Calmels e Gérard Larrousse, com o nome de Larrousse & Calmels. Em 1989, depois que Didier Calmels foi preso por atirar em sua mulher com uma arma de fogo, a escuderia passou a chamar-se apenas Larrousse.

Larrousse com chassis Lola (1987-1991)editar | editar código-fonte

Em 1987, Didier Calmels e Gérard Larrousse (ex-piloto de F-1), fundaram a Larrousse & Calmels. Os chassis eram da Lola, e os motores seriam da Ford. No começo, dois franceses: Philippe Alliot (estava com duas temporadas disputadas)e o piloto de turismo Yannick Dalmas, que havia marcado dois pontos no GP da Austrália, mas tais pontos não foram computados na classificação geral, já que Dalmas pilotava um carro inelegível para marcar pontos. Na temporada de estreia, a Larrousse marcaria três pontos, todos com Alliot, que chegaria em sexto lugar em três etapas.

Na temporada de 1988, Alliot mantém-se no time, e Dalmas disputa a temporada normalmente até o GP da Espanha, quando dá lugar ao japonês Aguri Suzuki, que disputa apenas a etapa de seu país, e este último cede sua vaga a outro francês, Pierre-Henri Raphanel (nascido na Argélia, então colônia francesa).

O acidente na curva Peraltada, no Méxicoeditar | editar código-fonte

Nos treinos para o GP do México, Alliot sofreu um grave acidente, quando o carro, vindo da veloz curva Peraltada do Autódromo Hermanos Rodríguez, perdeu o controle, subiu numa zebra mal-localizada e bateu com violência no muro, na frente da torcida. Depois deu seguidas capotagens, caindo "de cabeça" na pista, e deu mais duas capotagens na grama. Apesar da violência do acidente, Alliot saiu ileso, e o carro consertado a tempo de disputar a etapa do México (os mecânicos passaram a noite inteira consertando o carro).

1989-1991: pódio no Japão e o término da parceriaeditar | editar código-fonte

Em 1989, depois das malsucedidas passagens de Suzuki e Raphanel, Yannick Dalmas é repatriado, mas depois de quatro não-classificações, é sacado novamente da Larrousse, dando lugar a outro francês, Éric Bernard, que só disputa duas corridas, também sem resultados de destaque.

O italiano Michele Alboreto, recém-saído da Tyrrell, é contratado no lugar de Bernard, enquanto Alliot permanece intocável no posto de titular. Depois de não se classificar para três corridas, Alboreto abandona o time. Enquanto isso, Alliot, responsável pelo único ponto do time na temporada, após ter abandonado a etapa da Austrália, deixa o time pela primeira vez,. Fora das pistas, Didier Calmels, um dos donos, é preso por atirar em sua esposa na primavera de 1989. Depois da prisão, a Larrousse & Calmels passa a se chamar apenas de Larrousse.

A partir de 1990, os carros da Larrousse foram equipados com motores Lamborghini V12. Aguri Suzuki retorna à Larrousse depois de fracassar na Zakspeed, e Bernard volta ao time, desta vez em tempo integral (um contrato para disputar a temporada inteira). Durante boa parte do campeonato, o francês estava na frente do nipônico. Mas, no Grande Prêmio do Japão de 1990, Suzuki, que largara em nono lugar, chega em terceiro lugar, atrás das duas Benettons de Nelson Piquet (vencedor da prova]] e Roberto Pupo Moreno (segundo colocado). Foi o único pódio de Suzuki - o primeiro de um piloto japonês na categoria - e o único da Larrousse. No final da temporada, o time termina na décima-primeira posição, com 11 pontos (seis de Suzuki, contra cinco de Bernard).

No ano de 1991,a dupla Suzuki-Bernard permanece na Larrousse, mas o francês se lesiona nos treinos para o GP do Japão. O luxemburguês (naturalizado belga) Bertrand Gachot, depois de cumprir dois meses de prisão em virtude do incidente em Londres, é chamado para seu lugar. Ao todo, foram dois pontos: um do francês e outro do japonês. Gachot, que fora chamado às pressas, não obteve tempo suficiente para se classificar para o GP de Adelaide, o último da Larrousse equipada com chassis da Lola.

1992: única temporada com chassis da Venturieditar | editar código-fonte

No ano de 1992, a Larrousse passa a utilizar chassis da Venturi. Gachot renova o contrato com a equipe, e passa a ter como seu companheiro um outro japonês, Ukyo Katayama. No total, Gachot (que teve como ponto baixo a desclassificação no GP do Canadá) somou um ponto (último dele na categoria), conquistado no GP de Mônaco, terminando em décimo-nono lugar. Katayama não pontua, e encerra sua primeira temporada na Fórmula 1 vigésimo-quinto.

1993-1994: chassis 100% Larrousseeditar | editar código-fonte

Para 1993, a Larrousse desiste de continuar usando os chassis da Venturi, e passa a usar seus chassis próprio. A equipe demite Katayama, que vai para a Tyrrell, e Gachot vai para a CART (mais tarde, Champ Car). Philippe Alliot retorna ao time, e contrata Érik Comas, vindo da Ligier. Após chegar em décimo lugar no GP de Portugal, Alliot - que chegou em quinto lugar em San Marino (sua melhor posição de chegada) - abandona novamente o time, e mais um japonês, Toshio Suzuki (sem parentesco com Aguri Suzuki), entra para o seu lugar. Ao fim da temporada, três pontos (dois de Alliot, ante um de Comas).

Em 1994, a Larrousse, em séria crise financeira, volta a ser equipada com motores Ford. Comas permancece no time, enquanto Toshio Suzuki, contratado para apenas duas provas em 1993, não permanece. O monegasco Olivier Beretta é contratado para correr no lugar do japonês, mas depois de dez provas, é dispensado. Alliot volta pela terceira vez no GP da Bélgica, ocupando a vaga de Beretta, e se aposenta definitivamente da F-1 após ter abandonado a prova.

Antes do fim da temporada, Yannick Dalmas retorna no lugar de Alliot. Nas últimas corridas, a Larrousse, visando contornar a crise financeira que vivia, contrata o japonês Hideki Noda (três corridas) e o suíço Jean-Denis Délétraz seria chamado para suceder Comas, desmotivado após seus fracos resultados nas últimas provas.

Em sua derradeira temporada, a Larrousse termina em décimo-primeiro lugar, com dois pontos (conquistados por Comas). A Larrousse, apesar da crise, pretendia participar da Temporada de Fórmula 1 de 1995, tendo inclusive anunciado os franceses Christophe Bouchut e Eric Hélary para a disputa. Entretanto, em meio a disputas jurídicas, a equipe não logra sucesso no recurso, e dá adeus à Fórmula 1, após 127 corridas, e 24 pontos marcados.

Carroseditar | editar código-fonte

Temporada Nome Oficial Modelo Chassi Motor Pneu Combustivel (fornecedor) Principal Patrocinador Cor Pilotos Pilotos de testes Classificação pilotos Classificação construtores
1987 Larrousse Calmels LC87 FordDFZ 3.5 V8 Goodyear 29França Philippe Alliot
30França Yannick Dalmas
Alliot - 17º(3 PTS)
Dalmas - 22º(2 PT)¹
9ºlugar (5 PT)
1988 Larrousse & Calmels F1 LC88 FordDFZ 3.5 V8 Goodyear 29França Philippe Alliot
França/Argélia Pierre-Henri Raphanel
Japão Aguri Suzuki
30França Yannick Dalmas
Dalmas - 18º(0 PT)
Alliot - 24º(0 PT)
Suzuki - 35º(0 PT)
Raphanel - 36º(0 PT)
15ºlugar (0 PT)
1989 Team Larrousse F1 LC88B
LC89
Lamborghini3512 3.5 V12 Goodyear 29França Philippe Alliot
França Éric Bernard
Itália Michele Alboreto
30França Yannick Dalmas
Alboreto - 13ºlugar(6 PTS)²
Alliot - 29ºlugar(1 PT)
Bernard - 31ºlugar(0 PT)
Dalmas - 39ºlugarlugar(0 PT)
16ºlugar (1 PT)
1990 Team Espo Larrousse F1 LC89B
LC90
Lamborghini3512 3.5 V12 Goodyear 29França Éric Bernard
30Japão Aguri Suzuki
Suzuki - 12ºlugar(6 PTS)
Bernard - 13ºlugar(5 PTS)
6ºlugar (11 PTS)
1991 Team Larrousse F1 LC91 FordDFR 3.5 V8 Goodyear 29França Éric Bernard
Japão Aguri Suzuki
30França/Luxemburgo/Bélgica Bertrand Gachot
Gachot - 13ºlugar(4 PTS)³
Bernard - 21ºlugar(1 PT)
Suzuki - 22ºlugar(1 PT)
11ºlugar (2 PTS)

Notaseditar | editar código-fonte

¹ Os pontos marcados por Dalmas foram considerados inválidos.

² Alboreto marcou os pontos pela Tyrrell.

³ Gachot marcou os pontos pela Jordan.








Creative Commons License