Mandato Britânico da Palestina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
British Mandate for Palestine
Mandato Britânico da Palestina

Mandato da Liga das Nações
(Reino Unido)

Ottoman flag.svg
1920 – 1948 Flag of Jordan.svg
 
Flag of Israel.svg

Bandeira de Palestina

Bandeira

Localização de Palestina
Mapa do território sob o Mandato Britânico da Palestina antes da criação do reino da Transjordânia
Continente Ásia
Região Médio Oriente
Capital Jerusalém
Governo Mandato
História
 • 25 de Abril de 1920 Atribuição do mandato
 • 29 de Setembro de 1923 Grã-Bretanha obtém o controle
 • 25 de Maio de 1946 Independência da Transjordânia
 • 14 de Maio de 1948 Fundação de Israel

O Mandato Britânico da Palestina1 foi uma comissão legal para a administração da Palestina, cujo projeto foi formalmente confirmado pelo Conselho da Liga das Nações em 24 de julho de 1922 e entrou em vigor em 26 de setembro de 1923.2

O documento foi baseado nos princípios contidos no artigo 22 do Pacto da Liga das Nações e da Conferência de San Remo de 25 de abril de 1920 pelos principais Aliados e poderes associados após a Primeira Guerra Mundial, quando a Tríplice Aliança, da qual participava o Império Otomano, foi derrotada.2

O objetivo formal do Sistema de Mandato da Liga das Nações foi justamente o de administrar os territórios integrantes do extinto Império Otomano, que dominara o Oriente Médio desde o Século XVI, "até que fossem capazes de se tornar independentes".3

O mandato formalizou o domínio Britânico na parte sul da Síria Otomana de 1923 a 1948. Em 16 de setembro de 1922, com o consentimento da Liga das Nações, o Reino Unido dividiu o território em duas áreas administrativas:

O preâmbulo do mandato foi redigido nos seguintes termos :

Considerando que as principais potências Aliadas também concordaram que o Mandatário deve ser responsável por colocar em prática a declaração, feita originalmente em 2 de novembro de 1917 pelo Governo de Sua Majestade Britânica e adotada pelas ditas potências, em favor do estabelecimento na Palestina de um lar nacional para o povo judeu, sendo claramente entendido que nada deve ser feito que possa prejudicar os direitos civis e religiosos das atuais comunidades não-judaicas na Palestina, ou os direitos e status político gozados pelos judeus em qualquer outro país...5


Altos comissários britânicos da Palestinaeditar | editar código-fonte

Nome Mandato
Sir Herbert Louis Samuel 1920–1925
Herbert Onslow Plumer 1925–1928
Sir Harry Charles Luke (em funções) 1928
Sir John Chancellor 1928–1931
Arthur Grenfell Wauchope 1931–1938
Sir Harold MacMichael 1938–1941
John Vereker, 6º Visconde de Gort 1944–1945
Sir Alan G. Cunningham 1945–1948

Ver tambémeditar | editar código-fonte

Ligações externaseditar | editar código-fonte

Referências

  1. [1] League of Nations Mandate for Palestine
  2. a b c Palestine Royal Commission Report Presented by the Secretary of State for the Colonies to Parliament by Command of His Majesty, July 1937, Cmd. 5479. His Majesty’s Stationery Office., London, 1937. 404 pages + maps.
  3. Article 22, The Covenant of the League of Nations and "Mandate for Palestine," Encyclopedia Judaica, Vol. 11, p. 862, Keter Publishing House, Jerusalem, 1972
  4. Marjorie M. Whiteman, Digest of International Law, vol. 1, US State Department (Washington, DC: U.S. Government Printing Office, 1963) pp 650–652
  5. The Palestine Mandate, The Avalon Project
Ícone de esboço Este artigo sobre Estado extinto, integrado ao Projeto Estados Extintos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.







Creative Commons License