Portal:Sudão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Conteúdo · Temas gerais · Resumo do conhecimento · Portais · Categorias · Anexos por tema · Glossários · Índice A-Z

Bem-vindo ao
Portal do Sudão
3Wali tombs,El Kurru.jpgAshu land.JPGEl-Hassa temple du Roi AmanaKhereqerem Béliers de Grés.jpgJebel Barkal Pyramids.jpg
Cartella viola.jpg
Brosen windrose-fr.svg
ver    
Bandeira do Sudão
Brasão de armas do Sudão
Mapa de Localização

Sudão (oficialmente República do Sudão) (em árabe: السودان As Sūdān) é um país no nordeste da África. Faz fronteira com o Egito ao norte, o Mar Vermelho ao nordeste, a Eritreia e a Etiópia ao leste, a República Centro Africana ao sudoeste, Chade a oeste e a Líbia ao noroeste e com o Sudão do Sul ao sul. O maior rio do mundo, o Nilo, divide o país entre lados leste e oeste.

O Sudão é o lar de uma das mais antigas grandes civilizações do mundo, com assentamentos históricos e urbanos que remontam a 3000 aC. O povo sudanês tem uma longa história que se estende desde a antiguidade, que se confunde com a história do Egito, com o qual se uniu politicamente por vários períodos. Depois de ganhar a independência do Egito e do Reino Unido em 1956, o Sudão sofreu uma guerra civil, que durou 17 anos, posteriormente seguida por conflitos étnicos, religiosos e econômicos entre os sudaneses do Norte (com raízes árabes e nubianas), e os cristãos e animistas nilotes do Sudão do Sul. Assim, isso levou a uma segunda guerra civil em 1983, e devido a contínuas lutas políticas e militares, o Sudão foi tomado em um sangrento golpe de Estado pelo coronel Omar al-Bashir em 1989, que depois proclamou-se Presidente do Sudão.

O Sudão então alcançou grande crescimento econômico através da implementação de reformas macroeconômicas e, finalmente, terminou a guerra civil através da adoção de uma nova constituição em 2005 com grupos rebeldes no sul, conferindo-lhes autonomia limitada para ser seguida por um referendo sobre a independência em 2011.

Cartella viola.jpg
Nuvola filesystems services.png
ver    

Khartoum.jpg

Cartum (الخرطوم al-Kharṭūm) é a capital do Sudão e do Estado de Cartum. Está localizado na confluência do Nilo Branco, fluindo para o norte do Lago Vitória, e o Nilo Azul que flui a oeste da Etiópia. O local onde os dois Nilos defrontam é conhecido como "al-Mogran". O Nilo principal continua a fluir para o norte para o Egito e o Mar Mediterrâneo.

Dividido pelos Nilos, Cartum é uma metrópole tripartida com uma população total estimada de mais de um milhão de pessoas que consistem em Cartum propriamente, e ligadas por pontes para Cartum do Norte chamadas (al-Khartūm Bahrī) e Omdurman (Umm Durmān) a oeste.

Cartella viola.jpg
Nuvola apps kontact.png
ver    

O Tenente-General Omar Hassan Ahmad Al-Bashir (em árabe: عمر حسن أحمد البشير; nascido em 1 de janeiro de 1944) é o presidente do Sudão e o chefe do Congresso Nacional do Partido. Ele chegou ao poder em 1989, quando, como um brigadeiro do exército sudanês, conduziu um grupo de oficiais em um golpe militar que derrubou o governo do primeiro-ministro Sadiq al-Mahdi.

Em outubro de 2004, o governo de al-Bashir negociou o fim da Segunda Guerra Civil Sudanesa, uma das guerras mais antigas e mais mortíferas do século XX, através da concessão de autonomia limitada para o Sudão do Sul dominado pelo Exército Popular de Libertação do Sudão (SPLA). Desde então, porém, houve um violento conflito em Darfur que resultou em índices de mortes entre 200.000 e 400.000. Durante a sua presidência, houve várias lutas violentas entre as milícias Janjaweed e os grupos rebeldes como o Exército de Libertação do Sudão (SLA) e o Movimento pela Justiça e Igualdade (JEM), na forma de guerrilha na região de Darfur. A guerra civil resultou em mais de 2,5 milhões de pessoas sendo deslocadas, e as relações diplomáticas entre o Sudão e o Chade passando a um um nível de crise.

Al-Bashir é uma figura controversa, tanto no Sudão e como no mundo. Em julho de 2008, o procurador do Tribunal Penal Internacional (TPI), Luis Moreno Ocampo, acusou al-Bashir de genocídio, crimes contra a humanidade e crimes de guerra em Darfur. O tribunal emitiu um mandado de prisão para al-Bashir em 4 de março de 2009 sobre crimes de guerra e crimes contra a humanidade, mas decidiu que não havia provas suficientes para processá-lo por genocídio. No entanto, em 12 de julho de 2010, depois de um longa apelação pela acusação, o Tribunal considerou que realmente havia provas suficientes para acusações de genocídio a serem trazidas e emitiu um segundo mandado contendo três acusações separadas.

Cartella viola.jpg
Nuvola filesystems camera.png
ver    
MeroeSouthcemetery.JPG
Cemitério real de Meroë, Sudão.
Cartella viola.jpg
Nuvola apps remote.png
ver    
  • ... que o Inglês de Selim Aga, um ex-escravo do Sudão, era tão impecável que se acreditou que seu livro fora escrito/fabricado por um britânico?
Cartella viola.jpg
Nuvola apps kate.png
ver    
Cartella viola.jpg
Nuvola apps bad kcontrol.png
ver    

Artigos para desenvolver:

  • Outros artigos:

Artigos para revisar/reciclar:


Artigos para sofrerem fusão: Observação importante: Após fazer a fusão, favor riscar o nome da lista acima usando <s> e </s>.


Artigos para traduzir: Observação importante: Após fazer a fusão, favor riscar o nome da lista acima usando <s> e </s>.


Predefinições a traduzir/completar: Observação importante: Ao criar novos artigos procure criar todos os possíveis redirecionamentos.

Cartella viola.jpg
Nuvola apps kdmconfig.png
ver    
Predefinições
Infobox


Ligações
Portal A Wikipédia possui o
Portal do Sudão
Cartella viola.jpg
Nuvola apps bookcase.png
ver    
Cartella viola.jpg
Portal.svg
ver    







Creative Commons License