Selton Mello

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde novembro de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Selton Mello
Selton Mello no prêmio BRAVO! Prime de Cultura, em 2009
Nome completo Selton Figueiredo Mello
Nascimento 30 de dezembro de 1972 (41 anos)
Passos (MG)
 Brasil
Ocupação ator, dublador, diretor e produtor
Atividade 1979 - atualmente (34 anos)
Oscares da Academia
nenhum
Outros prêmios
GP Brasileiro de Cinema
Melhor Ator
2005 - Lisbela e o Prisioneiro
2009 - Meu Nome Não é Johnny
2012 - O Palhaço
Melhor Diretor
2012 - O Palhaço

Troféu APCA
Melhor Diretor
2012 - O Palhaço

Prêmio ABC de Cinematografia
Melhor Edição
2012 - O Palhaço

Prêmio Contigo Cinema
Melhor Diretor
2012 - O Palhaço
Página oficial
IMDb: (inglês) (português)

Selton Figueiredo Melo, mais conhecido como Selton Mello (Passos, 30 de dezembro de 1972) é um ator, dublador, diretor e produtor brasileiro. Atua em teatro, televisão e cinema.

Biografiaeditar | editar código-fonte

Nasceu em Passos, Minas Gerais, e mudou-se para São Paulo com a família ainda criança; é irmão de Danton Mello, também ator. Seu primeiro trabalho na TV, aos 7 anos,1 foi em Dona Santa (1979), na Rede Bandeirantes, onde atuou como um dos personagens centrais da novela. Em 1983, novamente despontando de bastante destaque, esteve presente no elenco da novela Braço de Ferro. Embora não seja muito citado, Selton também é musico, tendo participado de uma banda chamada Vendetta.

Em 1984 transferiu-se à Rede Globo para atuar na novela Corpo a Corpo. Em 1986, participou da primeira fase da novela Sinhá Moça, na pele do escravo branco Rafael.

Ficou afastado das novelas por seis anos. Neste período trabalhou como dublador profissional.

Em 1990 fez sua estréia no cinema com o longa dos Trapalhões, Uma Escola Atrapalhada.

Em 1992 retornou à Globo definitivamente, tendo participado da novela Pedra sobre Pedra. Mesmo não possuindo um contrato com o canal, é a única emissora de televisão aberta pra qual presta trabalhos. No ano seguinte esteve em Olho no Olho e, em 1994, viveu um dos personagens centrais da novela Tropicaliente. Depois, participou do grande sucesso A Próxima Vítima (telenovela).

Em 1997 iniciou uma sequência de personagens na televisão, entre eles, o Tenente Luís do filme Guerra de Canudos (filme), e o atormentado Emanuel da novela A Indomada. Em 1999 protagonizou a minissérie O Auto da Compadecida, na pele do nordestino Chicó, juntamente com o ator Matheus Nachtergaele e, em seguida, co-protagonizou a novela Força de um Desejo, como Abelardo Sobral. Esta seria sua última atuação em novelas, desde então, Selton tem se dedicado inteiramente ao cinema, limitando-se a participações em minisséries e seriados da Globo.

Em 2000 protagonizou a minissérie A Invenção do Brasil, feita em comemoração aos 500 anos do Brasil e, em 2001, co-protagonizou a minissérie Os Maias. Posteriormente, integrou o elenco da terceira temporada do seriado Os Normais e, em 2004, protagonizou a série Os Aspones, ao lado de nomes, como Andréa Beltrão, Drica Moraes, Marisa Orth e Pedro Paulo Rangel.

A partir de 2004 passou a apresentar o programa Tarja Preta, veiculado no Canal Brasil, onde entrevista profissionais do cinema e de cultura.

Em 2007 protagonizou a série O Sistema, junto com Zezé Polessa, Ney Latorraca e Graziela Moretto. No mesmo período, contribuiu financeiramente para que o filme O Cheiro do Ralo, do qual é protagonista, saísse do papel.

Em 2008 e 2009 atuou no cinema em duas histórias baseadas em fatos reais, sendo no papel de um ex-traficante carioca em Meu Nome Não É Johnny e Jean Charles, onde deu vida ao brasileiro assassinado no metrô de Londres pela polícia, ao ser confundido com um terrorista. Em 2008 se aventurou também como diretor, primeiro com o curta-metragem Quando o Tempo Cair, produzido por Adriano Lírio e posteriormente no longa Feliz Natal, produzido por Vania Catani.

Trabalhou também com dublagem e dirigiu clipes musicais da banda Ira!, o cantor Nasi (ex-Ira) e Ana Cañas. O clipe da música Corpo Fechado (cantor: Nasi; diretor: Selton Mello), foi indicado ao MTV Video Music Brasil

No teatro, fez peças como Esperando Godot, direção de José Celso Martinez Corrêa e "Zastrozzi", direção de Selton Mello e Daniel Herz.

O Palhaçoeditar | editar código-fonte

O filme de mais sucesso da carreira de Selton Mello até o momento é o longa O Palhaço, estrelado, dirigido, roteirizado e produzido por ele, lançado em 28 de outubro de 2011. O filme conta com até dezembro de 2012, um total de 26 prêmios e 4 indicações. Foram 4 prêmios vencidos no Festival de Cinema de Paulínia em 2011, 1 prêmio do Troféu APCA, 4 vencidos no Prêmio ABC de Cinematografia, 12 prêmios vencidos e 2 indicações no Grande Prêmio Brasileiro de Cinema 2012, 3 prêmio vencidos e 1 uma indicação no Prêmio Contigo Cinema, 1 prêmios no Tiburon International Film Festival, 1 indicação no Chicago International Festival. Além de estar representando o Brasil na lista dos filmes disputando as 5 vagas para Oscar de melhor filme estrangeiro, o que não aconteceu.

Carreiraeditar | editar código-fonte

Televisão
Ano Titulo Personagem Nota(s)
1981 Dona Santa Sidney
1983 Braço de Ferro Raimundo
1984 Corpo a Corpo Ronaldo Pellegrini
1986 Sinhá Moça Rafael (criança)
1990 Desejo João Medeiros
1992 Pedra sobre Pedra Bruno
1994 Olho no Olho Juca
Tropicaliente Vítor Velasquez
1995 A Próxima Vítima Tonico Mestieri
1996 A Comédia da Vida Privada Valdemar Apenas 2 episódios
1997 A Indomada Emanuel Faruk
1999 O Auto da Compadecida Chicó
Força de um Desejo Abelardo Sobral
2000 A Invenção do Brasil Diogo Álvares Com apelido de Caramuru
2001 Os Maias João da Ega
Os Normais Nilo Episódio: Um Sábado Normal
2003 Os Normais Bernardo Episodio: Nosso Já Famoso Episódio Infame
2004 Os Aspones Tales
2007 O Sistema Matt (Matias C.)
2010 A Cura Dimas Bevilláqua
2011 A Mulher Invisível Pedro
2012 Sessão de Terapia Diretor
Cinema (como ator)
Ano Filme Personagem Nota(s)
1990 Uma Escola Atrapalhada Renan Participação
1993 Lamarca Ivan
1995 Flora Remo
Razão Pra Crer Participação
1996 Guerra de Canudos Tenente Luís
O Que É Isso, Companheiro? César / Oswaldo
2000 O Auto da Compadecida Chicó Papel Principal
2001 Lavoura Arcaica André
Caramuru - A Invenção do Brasil Diogo Álvares O Caramuru
2003 Lisbela e o Prisioneiro Leléu Antônio
Garotas do ABC Salesiano de Carvalho
2004 Nina Amigo de Ana Participação
2005 O Coronel e o Lobisomem Pernambuco Nogueira
2006 Árido Movie Bob
Federal Dani
Tarantino's Mind Curta-metragem
2007 O Cheiro do Ralo Lourenço
Sete Vidas Curta-metragem
2008 Os Desafinados Dico
Meu Nome Não é Johnny João Estrella
2009 Reflexões de um Liquidificador Liquidificador
A Mulher Invisível Pedro Papel Principal
A Erva do Rato
Jean Charles Jean Charles
2010 Lope Marqués de Navas
2011 O Palhaço Benjamin / Pangaré Também como diretor
2012 Reis e Ratos Troy Somerset
Billi Pig Wanderley
Cinema (como diretor)
Ano Filme Nota(s)
2005 Quando o Tempo Cair Curta-metragem
2008 Feliz Natal
2011 O Palhaço
Dublagens
Ano Obra Personagem Ator dublado Nota(s)
1978 Kiss Meets the Phantom of the Park Catman Peter Criss
1984 Locademia de Polícia Cadete Larvelle Jones Michael Winslow
1985 Os Goonies Brand Walsh Josh Brolin
1986 Karate Kid 2 Daniel Larusso Ralph Macchio
1987 Dinosaucers David Leslie Toth Série de TV
1989 Karate Kid 3 - O Desafio Final Daniel Larusso Ralph Macchio
Indiana Jones e a Última Cruzada Indiana Jones (jovem) River Phoenix
1990 Linha Mortal Nelson Wright Kiefer Sutherland
Duck Tales Asnésio Brian Cummings Série de TV
2000 A Nova Onda do Imperador Kuzco David Spade
2003 Irmão Urso Kenai Joaquin Phoenix
2013 Uma História de Amor e Fúria Homem-Pássaro Ele mesmo Filme nacional

Prêmios e indicaçõeseditar | editar código-fonte

Ano Prêmio Categoria Obra Resultado
2011 Prêmio Extra de TV Melhor ator Pedro em A Mulher Invisível Indicado2
2012 Chicago International Festival Melhor Diretor Revelação O Palhaço Indicado
2012 Troféu APCA Melhor Diretor O Palhaço Venceu
2012 Prêmio ABC de Cinematografia Melhor Edição (Prêmio dividido com Marília Moraes) O Palhaço Venceu
2012 GP Brasileiro de Cinema Melhor Filme de Ficção
Melhor Diretor
Melhor Ator
Melhor Roteiro Original (Prêmio Dividido com Marcelo Vindicatto)
Melhor Montagem de Ficção (Prêmio Dividido com Marília Moraes)
O Palhaço Venceu3
2012 Prêmio Contigo Cinema Melhor Diretor O Palhaço Venceu

Referências

  1. CanalViva.Globo.com. Relembre crianças que cresceram atuando na TV. Página visitada em 07 de novembro de 2012
  2. Redação Extra Online (29 de novembro de 2011). Prêmio Extra de TV: Gabriel Braga Nunes leva o prêmio de melhor ator pelo vilão Léo (em português). Extra Online. Página visitada em 29 de novembro de 2011.
  3. Filme 'O Palhaço' é destaque no Grande Prêmio de Cinema Brasileiro. Globo.com. EGO (15 de outubro de 2012). Página visitada em 22 de outubro de 2012.

Ligações externaseditar | editar código-fonte

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Selton Mello
Precedido por
Rodrigo Santoro
por Bicho de Sete Cabeças
Troféu Candango de Melhor Ator
por Lavoura Arcaica
empatado com Werner Schünemann por Netto Perde Sua Alma

2001
Sucedido por
Chico Díaz
por Amarelo Manga







Creative Commons License