Slashdot

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Slashdot
Gênero notícias
Idiomas inglês
Lançamento setembro de 1997
Desenvolvedor Rob "CmdrTaco" Malda
Proprietário Open Source Technology Group
Página oficial slashdot.org

O Slashdot (frequentemente abreviado como /. ) é um popular website de notícias. A maior parte dos artigos são sumários de notícias publicadas em outros sites, com espaço aberto ao comentário dos leitores. Dependendo da popularidade do tema, o artigo em questão pode chegar até a mais de 1000 comentários. Em muitos aspectos o site lembra um blog, embora tenha surgido anos antes da adoção desse termo. Os sumários das notícias geralmente são enviados pelos próprios leitores do sítio, podendo os editores aceitar ou não a contribuição.

O slogan do site é "News for nerds, stuff that matters" (Notícias para nerds, coisas que importam). Embora seja uma referência para a comunidade do software livre e do Linux em particular, o Slashdot é criticado por divulgar notícias por vezes sem base ou de conteúdo polêmico. O sítio criou o termo Efeito Slashdot, que ocorre quando milhares de leitores visitam ao mesmo tempo o sítio indicado por um dos sumários, tirando-o do ar.

A razão oficial para o nome Slashdot é que ele foi criado para confundir pessoas que tentariam soletrar o endereço do site em inglês, pois seria dito "h-t-t-p-colon-slash-slash-slash-dot-dot-org", em português seria literalmente "h-t-t-p-dois pontos-barra-barra-slash-dot-ponto-org". Traduzido literalmente, o nome em português para o website seria Barraponto, assim sendo, soletrar-se-ia assim: "h-t-t-p-dois pontos-barra-barra-barra-ponto-ponto-org".

Falso site Slashdot.org usado pelo (GCHQ)editar | editar código-fonte

O GCHQ usou páginas falsas do LinkedIn para atingir seu alvo principal, engenheiros de companhias a serem penetradas.1 De acordo com uma apresentação feita pelo GCHQ e revelada por Edward Snowden, a inteligência britânica começou por identificar os funcionários que trabalhavam na manutenção de rede e segurança para a empresa de telecomunicações. Em seguida, eles determinaram que os potenciais alvos tinham utilizado o site LinkedIn ou Slashdot, um popular site de notícias na comunidade de Tecnologia da informação (TI).

Engenheiros como Alvo Principaleditar | editar código-fonte

Os computadores desses "candidatos" foram então infectados com malware de computador que tinha sido colocado usando a tecnologia de infiltração da agência de inteligência se refere como "Quantum Insert", que permitiu que aos espiões Government Communications Headquarters (GCHQ) se infiltrar profundamente na rede interna Belgacom1 e de sua subsidiária BICS, que opera um sistema chamado roteador GRX. Este tipo de roteador é necessário quando os usuários fazem chamadas ou para se conectar quando usam seus telefones celulares no exterior.

Ver Tambémeditar | editar código-fonte

Ligações externaseditar | editar código-fonte


Referências









Creative Commons License